quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Solid Disaster Gold

Há 3 fins de semana que trabalho. Não custa porque é "pra mim". Só quem trabalha por conta própria percebe isto. As pessoas acham estranho que se trabalhe fora de horas, mas adoram dizer:

 "ah, mas tu fazes o teu horário, podes ir ao ginásio [ou a outro sítio qualquer] à hora que quiseres, podes tirar férias quando quiseres, podes..."

Claro que posso! É ótimo dormir uma hora a mais de manhã se tiver sono, é ótimo ir de viagem mais cedo se quiser, é ótimo ir de férias os dias que quiser... Mas gente, ninguém faz o meu trabalho! Não tenho a quem o deixar. E para ir ao ginásio em horário laboral é óbvio que vou ter de trabalhar à noite ou ao fim de semana. E mesmo que trabalhe os 5 dias da semana completos, se houver muito trabalho tenho que aproveitar o fim de semana. Se não entregar trabalho também não ganho dinheiro.
Ponto.

Toda esta introdução para dizer que fui para o norte na sexta à tarde. Logo, folguei a tarde. 
Tinha marcada uma reunião de trabalho, lá, sexta à noite e outra sábado depois de almoço. Na sexta à noite encontrei um erro no 3D de sábado que me custou a manhã inteira (sábado) a corrigir. Saí da reunião (com os clientes entusiasmados) eram 18h. 
Tinha um jantar marcado em casa de um amigo.

Começamos a comer acompanhados de uma garrafa de muralhas, que acabou nas entradas. O risotto, depois de muitos contratempos, ficou ótimo e começa-mo-lo a comer as 23h. Mais outra de muralhas. Nesta altura já a música ecoava alto e bom som na sala. Sobremesa: salada de fruta, que o obriguei a fazer para não quebrar o desafio do açúcar. A seguir uma vodka pra mim, duas pra ele. E depois ainda veio moscatel. Claramente já não estávamos com a saúde mental em condições, porque ninguém bebe moscatel depois de uma vodka.
Dancei até me doerem os pés.


Acordei no dia seguinte e o meu telemóvel não estava a funcionar bem. O touch simplesmente não funcionava na parte de baixo do ecrã... Tinha mudado a película há 2 semanas e estava toda estraçalhada

Mas que raio aconteceu aqui? - pensei eu.
Mandei-lhe mensagem a dizer que tinha o tlm meio avariado.
"Pois, eu acho que o pisaste ontem a dançar... mas não tenho a certeza que não me lembro bem".

Depois de um dia a ditar mensagens ao telemóvel, porque não as conseguia escrever, fui à loja que me colocou a película. "Ah e tal, a película está toda partida, tem duas semanas...e não está a funcionar bem... não sei se é disso..."
O rapaz arranca-me a película.
Morri.
Ecrã partido de um lado ao outro.

"Não sei como fiz isso!" - menti com os dentes todos.
"Às vezes acontece com as chaves na mala" - disse-me o inocente do rapaz.
"Pois, deve ter sido isso..."


Continuo a mesma destrambelhada de sempre.

5 comentários:

VerdezOlhos disse...

Que doida!!! :P

Mas pelo menos divertiste-te :P

Gaja Maria disse...

Pena o telemovel, mas de resto, diversão da boa :)

Coquinhas disse...

Ahahaha

Love Adventure Happiness disse...

Destrambelhada com umas garrafas de muralhas, vodka e moscatel é receita perfeita para um acidente desses ahahahahha

N. disse...

Oh pá, a coisa começou logo bem com Muralhas. O resto foi a cereja no cimo do bolo. Ou o pé em cima do telemóvel.

Destrambelhada, mas feliz!