sexta-feira, 18 de maio de 2018

Conversas paralelas e um restaurante novo

Ontem, fui correr 30 minutinhos ao ginásio (começamos a diminuir o tempo que Alverca está mesmo aí). Fiquei contente que não sofri. Meia hora a correr, a 9,5km/h, não é super rápido mas pra mim é bom, e cheguei ao fim sem cansaço nas pernas. Se eu treinasse o ano todo como estas duas últimas semanas era uma corredora a sério!
O problema é que pra treinar assim corrida não consigo fazer os meus 4 treinos de musculação semanais... óbvio! E a gente tem de fazer mais o que gosta, não é...

Deixei-me trabalhar até mais tarde [ainda não estou habituada ao horário de verão com sol até mais tarde], atrasei o treino, atrasei o banho porque me pus na conversa com o treinador enquanto alongava, ou seja, saí do ginásio sem secar o cabelo, qual flecha para o seu alvo. Entrei no carro na mate e fomos jantar a Miss Jappa no Príncipe Real.


Sentamo-nos, escolhemos a comida e ela diz: O que bebemos?

Alcoól - respondi eu.

Mate - Alcoól? Estava a pensar mais em chá.

Eu - vinho.

Mate - ok, então só um copo para cada.

Eu - Já sabes que quando pedimos só um copo para cada, acabamos por pedir o segundo e já sabemos que compensa pedir a garrafa...

Mate - E vamos beber uma garrafa toda?

Eu - ...


Pedimos a garrafa, "bem fresca senão não presta" - dizia ela ao empregado - "e uma manga não tem?" - E ele disse-nos que não e foi embora. Eu já ia comentar que não era muito simpático, mas ele voltou com um frapé e a dizer "com este calor isto é melhor que manga". 
Fomos comendo as peças ótimas [mas minis] que pedimos. A nossa conversa é sempre muito animada. Por isso é que a mate é a mate, porque embora seja muito diferente de mim compreende-me perfeitamente e a nossa conversa tem muito de sintonia.
Liga-me o comissário de bordo. Não atendo mas mando foto das duas (embora ele não a conheça pessoalmente ouve falar muito dela e vice-versa).
Mandou mensagem de voz:

"Não vou comentar... Senão ias dizer que eu sou um porco."

Sei bem o que ele pensou e contém o número 3.


Adiante.
Acabamos de comer. Era tudo muito bom, mas ainda tínhamos fome... mandamos vir mais um.
Nesta altura já o empregado nos despejava o que restava do vinho nos dois copos.
Comemos o último prato. Acabamos o vinho.

Empregado - Então, gostaram do último?

Mate - Sim, gostamos, mas era muito maçudo.

Nesta altura desmancho-me a rir. Mulheres do norte são assim, dizem o que pensam.

Empregado - Então e sobremesa? 

Nós - Sobremesa não queremos.

Empregado - Então e se eu trouxer outro prato? Um que nem está na carta...

Mate - Mas está a oferecer ou vamos pagar? - imaginem eu a rir muito.

Empregado - Se não está na carta e digo que vou trazer então é oferta para voltarem cá mais vezes.

Eu - Mas já não temos vinho, vamos comer a seco...

Empregado - Eu trago mais um copo e dividem.

Mate - Não, traga um copo para cada - pra quem queria chá... mas é como diz o comissário, as mulheres do norte sabem beber em quantidade.


Resumo: Uma garrafa mais dois copos, 4 pratos, um empregado simpático, um prato fora da carta, duas miúdas bem dispostas e uma conta de 63€. Não foi barato, mas foi muito bom. Japonês clássico mas moderno, nada de fusões que por acaso não gosto. O espaço é muito agradável e estava cheio!
Nem tirei fotos à comida. Mas vejam no zomato
Vale a pena experimentar para quem gosta do género.

Já tinham ouvido falar? Já lá estiveram? O que acharam?

2 comentários:

a n a a r q u i a disse...

eu acho que näo vale mesmo a pena pedir um copo só.

p.s.: 30 minutos é um tempo MUITO bom!

Love Adventure Happiness disse...

Já tinha ouvido falar sim e pela descrição vale a pena :D