quinta-feira, 29 de março de 2018

(quase) 2 meses sem açúcar

Sem açúcar, com boa alimentação e treinos ainda melhores.
Os resultados não podiam ser melhores.


Agora faltam 3 dias para a Páscoa e para estragar tudinho ahahah

quarta-feira, 28 de março de 2018

Desafio #sugarfree quaresma está a acabaaaaarrrr!!


Verdinho como a esperança!
Daqui a 4 dias terei uma overdose de doces na Páscoa.
Vai valer a pena.

Portaram-se bem na quaresma?



(só para que saibam, ainda me dói o cóccix e ainda não consigo correr... podia ser pior...)

domingo, 25 de março de 2018

Oslo

Há uma semana estava em Oslo.
Penso que ainda não tinha dito, mas atualmente a minha irmã vive lá. Não será por muito tempo pois vai voltar em breve para a Austrália. É um sentimento agridoce, saber que cumpre os seus sonhos e que vou poder lá ir, mas por outro lado saber que não a vou ver (nem ao meu sobrinho) nem uma vez por ano... é duro.
Ultimamente não tenho tido muito descanso, no que toca à saúde. Tenho feito muitos exames, ando sempre em sobressalto. 3 anos depois do pequeno verme achava que devia começar a ficar mais descansada, mas realmente não se tem verificado. A medicação que faço tem efeitos sencundários e andamos sempre em cima deles.
Adiante.

Por tudo o que passei nos últimos 4 anos, vejo a vida de maneira diferente. Não adianta ninguém tentar compreender o meu ponto de vista, nem sequer me esforço por explicar.
Estou num momento de "faço o que quero e estou-me nas tintas para o que as outras pessoas pensam disso". Ponto. Eu estou bem e é o que interessa.
Quero aproveitar as coisas boas da vida. E viajar é uma delas.
Isto tudo para vos deixar algumas fotografias de Oslo. Foi só um fim de semana prolongado e não foi a minha primeira vez lá.


Saí do Porto pronta a estrear os meus ténis de montanha (que comprei para a subida ao Toubkal em Marrocos) e a mochila de 40l, também para Marrocos. Depois de um dia de viagem, com uma escala demorada, chegamos a Oslo e estavam só -16ºC.
Primeiro choque climático e temperatura mais baixa que apanhei. Na vida.
Esta viagem foi a prova de que se pode comer saudável mesmo em viagem e ainda se consegue juntar um bocadinho de exercício físico.

Pequeno almoço saudável que fiz para a minha irmã
Passeamos no centro da cidade, sempre com medo de escorregar no gelo. Estava temperatura negativa, logo, não nevou. Mas como estava sol, havia muito gelo no chão...



Com bebés as noites são calmas, nada de saídas à noite, o que não quer dizer que tenha dormido na paz dos anjos, que o baby ainda chora de noite... mas é o mais fofinho do mundo.
Mais um pequeno almoço em casa e um almoço fora. A cumprir tudinho.


Domingo foi dia de corrida, já que o comércio estava todo fechado. Fomos até ao Lago Sognsvann que estava completamente gelado. Estavam -2ºC e corri com t-shirt, sweat e impermeável, luvas e fita. Não tive frio, mas as mãos e os pés demoraram 3,5km para aquecer. Fui sempre muito atenta ao gelo, que os meus ténis nem eram os apropriados, como é óbvio. 
No único momento em que resolvi filmar a paisagem e abrandar para passo de caminhada, apanhei gelo e como tinha os olhos no telemóvel, acho que dei 3 passos e záaaas! Cai de cú no gelo. Levantei-me, filmei, percebi que tinha lixado o cóccix e corri mais 4km.
Passou uma semana e ainda tenho uma nádega roxa e o cóccix a doer. Há uma semana que não corro.






À tarde resolvemos rumar à parte nova da cidade, a zona de negócios e à Ópera House.










 Na segunda de manhã ainda fiz umas comprinhas super giras e diferentes da zara e companhia. Estou farta de tudo igual a tudo. Como estavam 5ºC e céu encoberto começou a nevar! Pela primeira vez vi nevar!
Ao final da tarde fui para o aeroporto. Eram 22h quando cheguei a Lisboa.
Viajar é tão bom.
E agora contagem decrescente para Marrocos... faltam 26 dias!

quarta-feira, 7 de março de 2018

Que eu era bombástica já sabia, mas não tanto...

Ontem voltei a falar de cancro.
Voltei a ter consulta de genética com a minha família.
Desde esta última vez, já lá tinha voltado para receber a notícia de que não tinha apenas a mutação no BRCA1, mas mais 3, três gente! [estou rica carago] que são: ATM (mama), BRIP1 (ovário) e MUTYH. 

Achávamos que viria tudo do lado do meu pai, até porque na família materna não há nenhum caso de doença. Pois, que achávamos mal e herdei o BRCA1 do meu pai e as restantes 3 da minha mãe.
Estão a ver uma mistura explosiva?
Sou eu!
Se calhar devia jogar no totoloto. Se acertasse em 4 números era bem bom!

Ou seja, descobrimos que a minha mãe também tem 80% de hipóteses de vir a ter cancro (uma vez que já passou os 40 anos) e acho que nem ela atingiu "a coisa". Acho que foi um choque tão grande que chegou ao fim da consulta e não tinha ouvido metade do que a médica disse. Tivemos de lhe fazer um resumo. Ou seja, tal como eu, também ela tem de ponderar uma mastectomia bilateral profilática (trocando por miúdos: por prevenção).
Imagino que para uma pessoa não doente seja muito difícil decidir entrar em cirurgias de remoção...

As duas primas do meu pai saíram ilesas dos testes, ao passo que a minha irmã teve a sorte [será que posso chamar sorte?] de ficar apenas com o BRCA1.


Passei o dia fora de casa. Ao final da tarde quando cheguei ao ginásio até a planta dos pés me doía. Foi um dia de exaustão, mas precisava aliviar a cabeça.
Dei duas de tretas com o pessoal do ginásio, fizeram-me largar umas gargalhadas.
Cheguei a casa e ainda tinha de fazer um mail para a família materna, a explicar a situação.
Abri um vinho e escrevi. Tudo tão difícil de explicar!

Deitei-me e adormeci instantaneamente por causa do vinho.
Eram 3h e estava acordada. Insónias, essas p*tas minhas amigas. 


Literalmente isto.

sexta-feira, 2 de março de 2018

Foco mental


Quero só compartilhar convosco que me meti mais um mês no desafio sem açúcar, sem me lembrar que tinha 4 aniversários este mês... 
Ontem foi o primeiro e quero registar que resisti a:

Baba de camelo
Salame de chocolate
Bolo de chocolate
Torta
Crumble de maçã

quinta-feira, 1 de março de 2018

Fevereiro sem açúcar



Ontem terminou o desafio fevereiro sem açúcar.
Devo dizer que foi muito, muito melhor que o esperado. Não custou como pensei, porque tinha a mente focada naquilo e não comi sobremesas nos jantares, nem bolos de anos de quem os fez.
Correu tão bem, que sem contar, perdi 2.4kg, e garanto que esse não era o meu objetivo. Não comi menos nem treinei menos, logo, só pode ter sido deste corte.
Recebi tanto feedback e incentivo das pessoas, aqui e no instagram, que decidi aproveitar a quaresma e levar isto até à Páscoa.
Chamemos-lhe a preparação para a Páscoa no Minho. 
Sei que vou ter uma overdose de açúcar, por isso bora preparar tudo até lá. 

Entramos hoje em Março, mês da Primavera.
Num saltinho estamos no verão e não queremos banhoca na praia, não é?

Vamos juntos!


p.s. - (não é assim tão difícil... temos fruta, temos um bom vinho... há tanta coisa com açúcar! vamos só tirar o exagero!)