quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Cabeça de alho xoxo desde que nasci

Hoje acordei às 7h. Tem sido assim diariamente para conseguir ir ao ginásio a horas em condições, para começar a trabalhar às 10:30.
Levo a roupa de treino vestida por baixo da minha, o que dá imenso jeito nestes dias frios.
Tive a excelente ideia de treinar perna (2ª vez na semana) depois de ontem ter corrido 7.54km, sempre bom. Cheguei ao balneário com um andar novo.
Procuro a chave do cacifo para tirar as coisas do banho... ups, deixei a chave metida na fechadura enquanto treinei.
Nesse momento estava a Nádia, a funcionária do bengaleiro, a passar e disse-lhe:

"É muito boa ideia ir treinar e deixar a chave aqui metida..."

Ela olhou para o número do cacifo para ver se sabia de quem era.

"É meu!" - disse-lhe a rir.

Ela respondeu-me: "Já memorizei o número, quando voltar a acontecer eu guardo."


Tomei banho, vesti-me, fui ao espelho pentear-me e vim embora.
Ainda me lembrei de levantar dinheiro, que andava há dias a esquecer-me e fui carregar o vivaviagem que também não tinha saldo. Normalmente esqueço-me.
A 150m de casa faz-se luz na minha cabeça.
Não voltei a tirar a chave da fechadura. Abro a mochila, começo a procurar, NADA!
Pego no tlm pra ligar para o ginásio e perguntar se lá ficou... e ele morre, com 45% de bateria.
É que é já amanhã que vou trocá-la.

Voltei ao ginásio.
A Nádia mal me viu pegou logo na chave.

"Eu decorei o número, mas não pensei que demorasse tão pouco tempo a deixares a chave" - e parte-se a rir.

Chego a casa e são 11:45. Perdi mais de uma hora que podia ter servido para dormir...
Valeu-me esta música em loop no mp3.


Muito boa vibe.

1 comentário:

N. disse...

Tirei 5 minutos no trabalho para meter a leitura dos blogs em dia e perdi cerca de 4 a rir com este post. Obrigado. :)
Boa vibe, sem dúvida.