quinta-feira, 20 de julho de 2017

Angel

Há bastante tempo que me distanciei das coisas que me lembravam constantemente do cancro.
Parece frio da minha parte, mas foi a forma que arranjei de me proteger.
Pensar muitas vezes nisso fazia-me mal. Por isso, talvez há já 2 anos que retirei as notificações do grupos a que pertencia no facebook e tirei também as notificações de uma rapariga, com quem falei diversas vezes, mas que o seu cancro tinha voltado e muito resumidamente seria muito difícil de vencer. Lembro-me de uma das últimas vezes que falei com ela, ela me ter dito que estava a fazer um tratamento experimental.

Tinha uma especial admiração por ela, porque soube encarar a doença e muito mais difícil soube viver com ela, durante anos sem nunca perder o sorriso tão dela e a boa disposição. 
Hoje lembrei-me dela, como em tantas outras vezes me lembro.
Fui ver o seu perfil.
E apanhei um choque.

Ainda no início do ano lhe dei os parabéns e já fez 2 meses que a Dora nos deixou.

Chorei durante meia hora.
Estou a escrever isto e tenho lágrimas a cair.
Não a conheci pessoalmente, mas acompanhei a luta dela por algum tempo. Falei com ela e ela incentivou-me sempre a não pensar no assunto e seguir em frente. A viver a vida o mais e melhor que conseguisse sem deixar "coisas para amanhã".
Sinto-me verdadeiramente triste.
Onde quer que ela esteja espero que esteja em paz e deite um olhinho por nós.



E nestes momentos sinto-me também muito fútil por pensar em ter um corpo invejável para o verão, fruto das horas que passo no ginásio, em andar a fazer pole dance, em estar preocupada com as unhas dos pés que nunca mais recuperaram e estão feias e os pelos grossos que me nasceram no queixo porque tomo uma quantidade brutal de hormonas... Por estar preocupada com o que vou postar no instagram ou o que vou vestir amanhã porque tenho reunião de condomínio.

A minha vida preenche-se com futilidades, é verdade.
Mas talvez seja isso que me faz andar para a frente e não pensar nas coisas más da vida.

7 comentários:

Dona de Casa disse...

Uma prece por ela...

Love Adventure Happiness disse...

Um beijinho grande! E acho que no fundo, ela iria querer que pensasses nessas futilidades, porque são essas pequenas coisas que fazem com que a vida pareça normal. Essas coisas fazem parte da vida, todos nos queixamos de coisas aparentemente fúteis quando comparadas com os verdadeiros problemas...
Não te sintas culpada! Já passaste por muito, ainda passas, tens o direito de tentar ter uma vida normal...

Desabafista Profissional e Cusca de Blogues disse...

Quando nos podemos dar ao luxo de pensar em futilidades é porque a saúde está ok :) pensa assim :D

Agridoce disse...

Antes de mais, um grande abraço e um beijinho! Lamento muito.

Depois, não te sintas fútil e muito menos culpada por viveres a tua vida como vives. Como a Dora te disse, deves viver a tua vida o melhor possível. E o melhor possível é sentires-te bem contigo, é sentires-te bonita, é seres feliz. Isso não é ser fútil! É viver, ao invés de te arrastares e te deixares levar por essa doença estúpida. É mesmo isso que te faz andar para a frente e espero que não voltes a questionar-te!

Um Mundo a Três disse...

Sei de quem falas. Brinquei com a Dora em criança entretanto, seguimos caminhos diferentes. Foi com grande tristeza que recebi a noticia. Que esteja em paz <3

ovelha negra disse...

beijinho!

Eva Luna disse...

É uma forma de te protegeres e que faz sentido :/