quarta-feira, 21 de junho de 2017

Ana mãos de fada(fit)


E este foi o primeiro presente (do desafiofit) a chegar, diretamente da Alemanha para o Porto, feito pela própria Ana para a Sofia.


...
É engraçado que organizei e fui a pessoa neutra do desafio. 
Ganhei apenas este corpitxo de verão ahahah

terça-feira, 20 de junho de 2017

Nike, o meu calcanhar de Aquiles

Venho só avisar que comprei mais uns ténis da Nike.
Andava a namorá-los há séculos! E ontem recebi mail a avisar que estavam com 50% de desconto on-line... Ficaram no carrinho de compras até agora, mas resolvi não os deixar fugir.

Desta vez não são para ir para o ginásio. Queria há muito uns ténis sóbrios para usar no dia a dia (que os meus ténis são quase todos fluorescentes...)



Agora é rezar para que o 40 unisexo seja do mesmo tamanho que o 40 de mulher... mas pronto, há sempre aquela segurança de devolução sem custos...



Costumam comprar on-line? Ou só perdem a cabeça nas lojas? Há lojas onde recomendem 100% as compras on-line pela facilidade e bom serviço?

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Conversas na MAC

Depois do último episódio voltei à MAC.
Esperei nada mais, nada menos do que 3h para que a médica viesse falar comigo para me dar os papéis para o prolongamento do congelamento dos meus ovócitos.

Acho que era a única pessoa sozinha (ou seja, sem par) naquela sala de espera. Senti-me um bocadinho peixe fora de água. Embora a sala seja cor de rosinha, esteja limpinha e silenciosa, os momentos que os casais lá passam não são muito agradáveis. Estamos a falar do serviço de Fertilidade. Há uma grande carga emocional. Muitas frustrações, muita espera, muito desespero... mas acredito que haja também momentos felizes, mas esses penso que se passam entre 4 paredes e não sala de espera...

Enquanto o meu rabo ficava quadrado (que 3h senhores, 3h é muito tempo), o meu telemóvel ficava sem bateria e as minha cutículas sem pele entraram naquela sala dezenas de casais.
Dessas dezenas eu reconheci dois deles.
Baixei a cabeça e fiz de conta que não vi, enquanto se dirigiam ao balcão.
Achei que não era o momento oportuno para um "olá, tudo bem? Por aqui?" - isto porque eram apenas conhecidos e não amigos meus.

Nunca se sabe como as coisas estão a correr, se as pessoas se sentem à vontade para falar... senti um aperto. Pessoas que eu conheço estavam ali, num barco parecido com o meu (mas tão diferente). Já não eram só cara desconhecidas que entram e saem.

É estranho.



De rabo quadrado ouvi chamarem o meu nome. 
Levantei-me e fui. Assinei os papéis e expliquei à médica a questão da mutação genética perguntando a opinião dela sobre retirar mamas e ovários e quais as consequências desse procedimento na gestação de um bebé.

A médica olhou para mim com cara de estupefacta.

"Deixe-se disso e esteja mas é quietinha. Quer ter filhos já? É que se quiser até já podemos parar essa medicação que está a fazer. Se não quer já, acabe lá os 5 anos, e depois tenha filhos. Tenha logo os dois de seguida, que é melhor. E depois disso tudo logo pensa nessa questão. Há imensa gente que anda aí com a mutação do BRCA1. Esteja mas é quietinha..."


Sempre bom ouvir opiniões de quem vive no mundo real.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Frigideira minha, frigideira minha, haverá tapioca melhor que a minha? (sim, de certeza)

Da última vez que fui às compras ao continente vi tapioca, daquela que não é preciso hidratar nem peneirar... Decidi comprar. Já tinha ouvido maravilhas e até já tinha ido à Beiju almoçar com uma amiga (minha Alex intolerante ao glúten<3) e soube-me bem.
Vai daí, comprei.

No início da semana tentei fazer pela primeira vez.
Zero. A primeira foi direita para o lixo. Pus uma camada tão fina na frigideira que se desintegrou completamente. Não convencida voltei a tentar. Coloquei queijo no meio e já estava pronta a comer. 
Resultado: Não sabe a rigorosamente nada. O Mr. provou e não gostou.
Tinha o saco aberto e não o ia deitar fora.
No dia seguinte voltei a tentar. Não tinha muita fome ao jantar e então fiz com presunto e queijo.
Mais uma vez não fiquei convencida. Volto a dizer, a tapioca não sabe a nada e tem uma consistência estranha. Bolinhas duras e secas...

Como não a vou deitar fora, hoje voltei a fazer para pequeno almoço.
Desta vez deitei a tapioca antes de aquecer a frigideira. É que assim consigo colocar uma camada suficiente e uniforme. Em termos de consistência melhorou.
Coloquei presunto, abacate e mel no meio.
É verdade que melhorou consideravelmente. O húmido do abacate, com o salgado do presunto e o doce do mel funcionaram. A tapioca continua a não saber a nada, mas o recheio compensou.


Resumo:
- A tapioca não sabe a nada. Mas funciona como mais uma opção de pequeno almoço ou lanche (ideal para quem não quer comer glúten - não é o meu caso);
- Demora 2 min. a ser feita, é um ponto positivo;
- Diz-se que são hidratos de carbono bons;
- Fica bonita no prato e no meu IG.


No final do saco decido se compro mais.
Ainda não estou 100% rendida,