quinta-feira, 30 de junho de 2016

3 anos e 8 meses

Ontem miss Inspired liga-me. Achei estranho, não porque não me costuma ligar, mas porque estive há 4 dias com ela... 


"Tenho mais um episódio da minha filha para te contar. Estávamos agora a lavar o cabelo dela e caíram alguns fiozinhos. Ela perguntou o que era e eu expliquei que as vezes caiam alguns fios quando lavamos."

E depois contou-me que no fim de semana na casa da avó ela tinha visto a capa da revista onde estava a Sofia Ribeiro sem cabelo e perguntou o porquê. O pai explicou que ela tinha tido uma doença muito grave e por isso ficou sem cabelo.

Depois da conversa dos fios de cabelo miss C contou à mãe a explicação do pai, sobre a Sofia Ribeiro.

"E tu sabes quem também teve essa doença grave e também ficou sem cabelo? A L. das horas, mas agora já tem aquele cabelo bonito. A L. Das horas tem um cabelo bonito, não tem?"

"Sim...
Mas gosto mais do Cabelo do Mr. Pannacotta" - e faz um risinho de menina envergonhada.

"Vou contar à L. das horas."

"Não."

Vou, vou, ela vai-se rir."

"Então vai contar para a sala que eu fico aqui na casa de banho..."


Agora percebo porque é que miss C não falou o jantar todo, com vergonha! Eu a pensar que era por não conhecer o rapaz ou ter medo daquela barba rija, afinal era por estar apaixonada por ele!


Só para esclarecer que miss C está a 4 meses dos 4 anos... Vai ser fresquinha...

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Bebés a caminho II

Está toda a gente curiosa para saber as partes II e III. Lamento desiludir, mas nada tem a ver comigo, senão apenas o facto de ter a ver com as minhas pessoas.



Há cerca de 1 mês, já me estava a preparar para ir dormir, quando recebo muitas mensagens no grupo de messenger das minhas amigas. Tinha o tlm em cima da mesa da sala a carregar e sentei-me para ler. Mr. Pannacotta estava no sofá... Uma das minhas melhores amigas (um beijo gigante para ti) anunciava a todas que estava grávida! E se isso não é uma das melhores notícias do mundo, anda lá perto... Mas naquele momento, e ainda não percebo bem porque aconteceu, um mar de lágrimas chegaram aos meus olhos. Não conseguia ver nada... Disse em voz alta: "a I. está grávida!" 

"Mas que idade tem? Ela é casada? Achava que era novinha..." - diz o homem.

"Não é essa I., é a minha I. do Porto."

Engoli em seco. Acho que dei os parabéns no grupo, levantei-me e fui para o meu quarto. Senti-me tão mal por ter chorado, porque não foi de alegria por ela, mas tristeza por mim.

Dois dias depois, o choque inicial já me tinha passado. Falei com ela, dei os parabéns novamente e senti verdadeira felicidade. 

Contei este episódio à eterna housemate logo no fim de semana que ela me ia contar que também estava grávida... Daí o "senta-te", antes de me contar...
Desta já não chorei, já não fiquei triste. É difícil dizer o que senti, mas já passou. 
Estou muito muito contente pelas duas e vou ser uma tia exemplar. 
Com um pouco de sorte apanho-as na 2ª gravidez.


Agora a explicação, para quem não está a par dos acontecimentos:

Eu tive cancro. Além daqueles tratamentos todos bombásticos que fiz, ainda faço hormonoterapia, que, muito basicamente, consiste numa menopausa química (temporária, se tudo correr como previsto) e por causa disso, bebés meus só daqui por 4 anos. 
Ainda não penso neles, o meu relógio biológico está com as horas atrasadas e ainda bem. Estou a começar uma relação e esse é outro motivo pelo qual filhos ainda não passa na minha cabeça, óbvio.

terça-feira, 28 de junho de 2016

Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta Cidade do Porto

Já tínhamos marcado férias há muito, na esperança de ir ao São João no Porto. Fiz as combinações todas com as amigas, dormir na casa de uma, passar a noite de São João com outra e jantar no fim de semana numa outra. Sempre que chego ao Porto fico de coração cheio. É o meu Porto, onde vivi 5 anos, onde passei por coisas tão importantes e fiz os meus amigos prá vida. 
Este Porto está diferente do meu. Mas diferente para melhor. Mais gente, mais turistas, mais lojas, mais restaurantes, mais oferta de quase tudo, mais vida! 
Mal chegamos fomos logo ao Piolho comer uma francesinha. Bem sei que não é dos sítios recomendados para isso, mas eu gosto de lá ir, traz-me muito boas recordações...


Acomodamo-nos na casa da I., que tinha ido de férias e por isso nem nos vimos, e dormi uma sesta enquanto mr. Pannacotta acabava um trabalho, o que calhou lindamente para aguentar a noite de São João.



Éramos 14 à mesa, num pátio atrás dos clérigos, todos bem divertidos, sardinhas e vinho verde e a festa estava feita. Pela 1ª vez lancei balões de São João, lancei 4! A meio do jantar disse: "E se este ano, fossemos da ribeira até à foz?" - já dizia o Rui Veloso.

Ninguém disse que sim. Também ninguém disse que não. Ficou a deixa...

Dançamos muito no Guindelense, dançamos muito em Miragaia, Lordelo do Ouro... e à medida que fomos andando fomos perdendo elementos. Éramos 6 quando chegamos à foz (8km depois), eram 6h da manhã, depois de pipocas, feveras, cachorros e cervejas. Cumpri o objetivo, cheguei à foz. Para comemorar, lançamos o último balão, que era o de mr. Pannacotta.










Aos que bailam até ser dia

Claro que no dia seguinte dormimos toda a manhã.
A tarde serviu para fazer visita guiada ao rapaz, que mal conhecia o meu Porto.
Subimos à Ponte da Arrábida (pelo arco), para quem não sabe abriram as visitas no último fim de semana.





Por recomendação de uma das amigas fomos jantar ao restaurante Cruel, perto dos Aliados.
Diria que foi um dos melhores restaurantes que experimentei nos últimos tempos. Um experiência incrível! O menu divide-se em 3 secções, o cruel (mais arrojado e com surpresas), o cauteloso e o medroso (mais tradicional).
Claro que escolhemos tudo do cruel... Desde flores comestíveis que adormeciam a boca e intensificavam o paladar, bolas de berlim com salmão e wasabi, a cocktais secretos com petazetas... percorremos vários pratos únicos.











Saímos do restaurante e fomos para as galerias, fiz o roteiro dos meus bares preferidos: Galeria de ParisCasa do livroGin HouseEra uma vez e Plano B.
Mais uma vez, dormimos toda a manhã...

Durante a tarde mostrei as praias ventosas de Gaia a mr. Pannacotta e à noite jantamos em casa da querida Inspired e ficamos à conversa com eles, tão bom!

Último dia na cidade Invicta. Passear na Miguel Bombarda, Palácio de Cristal, Casa da música, umas voltinhas na roda gigante da rotunda da Boavista, compras em Santa Catarina, comprar fogaça da Feira, Pão de ló de Ovar, um manjerico para a anfitreã e regar os morangueiros dela, que nos deram muitos morangos bons enquanto lá estivemos.










E trabalhar, ontem, depois disto tudo?

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Bebés a caminho I

Ontem a minha eterna housemate ligou-me com vídeo chamada. Não é costume... 

"Tenho uma noticia. Senta-te." - disse-me.

"Pronto, vais casar."

"Senta-te."

"Ok, estás grávida!"

Sentei-me. A notícia foi dupla. Está grávida e vai casar quando batizar a criança. 



Hoje estava aqui a pensar... Se está de 12 semanas, é bem capaz da criança ter "sido feita" na minha casa, quando fui de viagem a Amesterdão e ela veio cá passar uns dias a Lisboa. Mandei mensagem:

"Não me digas que o bebé foi feito em Lisboa?! 😂"

"Ai digo, digo..."


A criança já tem a minha bênção, vou ser tia emprestada e ainda por cima nasce no meu mês! Só pode sair um bebé especial!

quinta-feira, 9 de junho de 2016

3 horas de conversa com o Peter Pan

L. - Agora vejo game of thrones. 

PP - Eu também ando a ver! As mulheres não gostam que nós vejamos séries...

L. - Estou no 4º episódio da temporada 6.

PP - Eu também, somos almas gémeas! Vi o john snow a ressuscitar... Se tivéssemos começado a ver a série antes se calhar ainda estávamos juntos...

(...)

PP - E estás a gostar de morar sozinha? É perfeito para ver game of thrones.

L. - Estou a gostar de morar sozinha, mas eu não vejo game of thrones sozinha...
(tive vontade de dizer que 70% do tempo não estou sozinha...)

(...)

L. - E tu, já tens alguém?


PP - Achas? Claro que não! Não tenho paciência para namoradas, gosto é de estar sozinho e fazer as minhas coisas, sem ninguém me chatear. 

(...) 

PP - Chego à conclusão que as minhas namoradas são sempre a melhorar em relação à anterior... Se calhar é por isso que ainda não encontrei outra.



Excertos da conversa de ontem, em que o informei acerca de Mr. Pannacotta
Agora que leio os excertos podem parecer estranhos, mas na altura toda a conversa me pareceu bem, fluiu tão bem que durou 3h... e eu senti-me bem, sem dores de barriga, sem raiva. 
Está a fazer 1 ano que tomei a decisão difícil mas certa de o mandar às urtigas. 
É bom rapaz, mas decididamente não chega.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Woooowww! Claro que quero, vai ser a loucura!

"Queres ir amanhã jantar às festas do Pinhal Novo? (e dormes em minha casa?)
(responde como se o convite fosse para ir a Las Vegas)"

imagem daqui

Hoje acordei fresca que nem uma alface, não sei bem como, depois de 4 finos e 2 garrafas de moscatel (para 4).

Deve ter sido do ar que apanhei neste carrocel. 
Deixei o estômago lá no alto.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Coisas do meu instagram

Nem toda a gente tem instagram não é? Quando não tinha irritava-me que as pessoas deixassem os blogs para se dedicarem ao IG. Pois bem, que acho que me tem acontecido isso.
É mais rápido, mas o blog é o blog e quero voltar a dar-lhe mais atenção.
Pelo menos vou tentar.

Quem já lá viu isto tudo é favor passar à frente ;)

A minha lindas Pegasus, vindas do site da Nike. Encomenda-se num dia, chegam dois dias depois. É perfeito.

A foto com mais "likes" de sempre. Estas leggings sempre a fazer furor.

Mr.Pannacotta sempre a surpreender. Será o anel de comprometida?

Este fim de semana rumei ao norte, a mãe fazia anos. Fomos para Baiona. E Baiona fica-me bem.

E para desfazer os males de sábado fui correr na aldeia mais linda do país. Era para correr 5/6 km, mas inspirei-me e bati o meu recird pessoal! 8 km! Estou cada vez mais perto do objetivo. 

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Reflexões de quinta feira

Começa-me a parecer que a gente nunca pode ter muito tempo o "trinómio" saúde-amor-trabalho a correr bem.
Ora vejamos:


Na altura em que tinha um trabalho precário, tinha namorado e saúde. 
Depois deixei de ter namorado, fiquei com a saúde.

A seguir apareceu o Peter Pan. Voltei a ter saúde e amor, faltava o trabalho em condições.
Surgiu-me um novo desafio e aceitei um novo trabalho. Aassinei o meu 1º contrato. Passado 5 meses descobri cancro. Amor-trabalho check, saúde a falhar. 

Fiz os tratamentos oncológicos. Findos os tratamentos o Peter Pan não correspondia ao que eu ansiava, atirei-o às urtigas. Novamente saúde-trabalho check, amor -400.

Entretanto cruzo-me com Mr.pannacotta, que é um amorzinho de rapaz (caramba que já não estava habituada a este tipo) e o meu trabalho começa a dar-me problemas... Amor-saúde check... trabalho...


Porquê? 
Mas porquê?