terça-feira, 16 de agosto de 2016

Aquelas alturas em que a idade pesa

Há duas semanas, fui pedir a baixa ao centro de saúde.
Como sempre liguei às 8h da manhã, para pedir uma consulta de recurso (isto porque desde que mudei a minha residência para Lisboa que deixei de ter médico de família no centro de saúde - problema das cidades grandes...)

"Informamos que foram atribuídos médicos a de família a toda a gente, logo, deve dirigir-se ao outro centro de saúde e pedir a consulta."

Dei pulinhos de alegria!
Ter médico de família é bom. Não ter é uma grande porcaria. 
Lá fui eu, toda lampeira ao centro, confirmei já ter médico e como ele estava de serviço ia atender-me na hora. Subi à sala de espera e 10 minutos depois o médico chamava o meu nome.

Entrei.
Deixei-lhe um aperto de mão.
Sentei-me e disse:

"Doutor, é nestas altura que me sinto velha. Nestas alturas em que o médico de família é mais ou menos da minha idade..."

"Deixe estar que eu sinto o mesmo quando o paciente é exatamente do mesmo ano que eu."



Daí pra frente a conversa foi muito informal e divertida.
É estranho o meu médico de familia ser um puto da minha idade, com aparelho nos dentes, mas foi ao mesmo tempo muito cool e à vontade.

3 comentários:

Evy Percebes disse...

Pelo menos deixa-nos mais à vontade ;)
Beijinhos

FME disse...

Lol bem porreiro!

VerdezOlhos disse...

Eu, quando vim para Lisboa morar passei a ter médico de família, antes não tinha!
E tenho de concordar contigo, é uma pessoa aí com uns 30 anos. O que não deixa de ser curioso mas é muita bom na mesma :P
Beijinhos