sexta-feira, 6 de maio de 2016

De Amesterdão com amor (mais vale tarde que nunca)

Amesterdão começou por brincadeira.
Considerava-a o meu calcanhar de Aquiles europeu.
Há uns meses, falava com um amigo espanhol, ex-vizinho de cima, que agora vive em Londres, da possibilidade de nos encontrarmos em qualquer cidade da Europa, para passear e descontrair.
Primeiro pensamos em Berlim, mas depois lembrei-me de Amesterdão.

Depois de várias combinações, no final de janeiro, compramos a viagem.
O resto já vocês sabem.
A Vera ofereceu-nos estadia e digo, sem margem para dúvidas, que tornou a experiência ainda mais espetacular! Nem é só a questão de pouparmos no alojamento é que vemos a cidade de outra maneira, com pessoas que lá moram e conhecem sítios onde comer bem, menos turísticos e tal.

Nunca sou eu a organizar as minhas viagens.
Normalmente deixo-me levar pelos planos das outras pessoas, sabendo que há uma coisa ou outra que faço questão de ver... Mas, desta vez, diria que não foi bem assim, pois o meu amigo é tão mau ou pior que eu.
Quando nos sentamos na mesa com a Vera e o Ricardo e nos perguntaram quais eram os nossos planos rimo-nos.
"Não temos planos."

Na verdade, o meu único plano era conhecer a Vera e ir correr com ela, estava mais que combinado e não queria ter levado os ténis e a roupa só a passear a Amesterdão.

Agora deixo-vos as imagens.

fim de semana a avistar-se bem frio
Primeira vista de Amesterdão

Amesterdão para mim é uma cidade de bicicletas, prédios dançantes, cervejas, tulipas, canais... 
Além disso, passou a ser uma cidade de amizade.
Espero voltar.


Onde está a bicicleta da Vera? - parte I
Os prédios dançantes - Como a sua estrutura é em pilares de
madeira na água, que vão apodrecendo, as casas vão ficando
tortas, cada uma para seu lado, para a frente e para trás. Incrível!
Prédios dançantes
Os canais
Onde está a bicicleta da Vera? - parte II
Onde está a bicicleta da Vera? Está aqui! - parte III
Voldenpark
Amigos @ Voldenpark

Não bebemos nem comemos nadinha...
Foi o descalabro calórico!
"croquetes" típicos e cervejas, só para começar o passeio
As melhores bolachas de caramelo, a derreter no chá...
As bolachas a seguir...
Bolachas nada boas. Chocolate preto e branco......
Quase experimentei as cervejas todas das listas + apple pie
hamburger vegetariano só pra enganar... felizmente parei de fotografar o que comi...

Mas voltando às coisas que vimos. Tiramos um dia só para ver museus. Adoramos o museu do design (não fossemos os dois das artes), o Amsterdam Museum foi muito agradável e fundamental para perceber como se formou a cidade, vimos também o Museu/Casa de Rembrandt e o Museu de Van Gogh (que tem uma arquitetura muito moderna). Compramos o cartão I am Amsterdam, que trazia entrada gratis nestes museus, mais um passeio de barco nos canais e transportes grátis. Muito eficaz para quem quer fazer o roteiro turístico (há várias modalidalidades com mais ou menos dias).

Museu do Desgin
Museu do Desgin
Museu do Desgin - ligação da arquitetura moderna com o
edifício existente (à esquerda)
Museu Van Gogh
Museu Van Gogh


É preciso alguma perícia para não ser atropelada por bicicletas homicidas

Museumplein

Ao 3º dia eu e a Vera cumprimos com o prometido e fomos correr. Fizemos 5,5 km, vimos um coelho, conversamos (deu para nos conhecermos melhor sem os rapazes :P) e eu senti a cerveja dos últimos 2 dias a destilar.
Depois disso, fomos fazer o passeio nos canais. A Vera acompanhou-nos.
1h de visita com audio guide, ficamos ainda a saber mais curiosidades sobre a cidade.

somos as maiores




Ao final do dia Ricardo juntou-se a nós e a Vera trouxe o space cake que "encomendamos". Não podia ir a Amesterdão e não provar nadinha...
Seguimos a dica da minha prima e fomos à procura do terraço do Hotel Hilton - SkyLounge.
Estava tanto frio! Mas valeu a pena! Vimos o pôr do sol com uma vista brutal, pedimos uma garrafa de vinho (nunca tinha pago tanto por uma garrafa 46€ e era das mais baratas), comi metade do space cake e seguimos para o Red District. A certa altura já me parecia que estava mesmo bêbeda, mas só tinha bebido duas cervejas e o vinho. Era o space cake! Grande moca que me deu!
Acho que por minha culpa fomos comer pizas para ver se atenuava...

Panorâmica do terraço do Hotel Hilton - cliquem na imagem para ver maior
Red District - quando eu já estava com a moca toda...
Chegamos ao último dia e tenho a certeza que a viagem foi muito mais fixe graças à Vera e ao Ricardo. E ao meu espanhol que tem um humor incrível!
Muito obrigada!

As tugas mais giras do pedaço




E para acabar em beleza, o meu voo teve overbooking e mudaram-me para classe executiva, grande chatice. Pão quentinho, cházinho sempre que quis (que já não podia ver álcool à minha frente), talheres e louça como deve ser, guardanapo de pano, toalhinha quente para limpar as mãos, ovo da páscoa, pastel de nata... e uma série de mordomias extra... a parte pior foi ir ao lado de pessoas tão chatinhas e com a manias (estas que viajam e pagam para ir em classe executiva... sempre a reclamar de tudo).

6 comentários:

Um Mundo a Três disse...

Gostei tanto de Amesterdam, uma grande surpresa sem dúvida. Saudades...

Pips disse...

Uauuuu! Já queria ir a Amesterdão, ver este post ainda me aguçou mais a vontade! Adorei as imagens do Museu do Design!

Eva Luna disse...

Está na lista :)

Lea disse...

Obrigada pelas fotos...foi bom recordar!
Amei Amesterdão!
Também senti os efeitos dos cakes...ui!!

Love Adventure Happiness disse...

Volta sempre que quiseres :D já tenho saudades dos risos ;)

O Anfitrião de Lisboa disse...

Tens que voltar e ir a Amsterdam Noord. Tem a tua cara. E De Pijp! Mto bom bairro!