sexta-feira, 15 de abril de 2016

Peter pan, peter pan, o que é feito de ti?

Antes de mais interessa ressalvar que este post é muito menos interessante do que o que possam julgar.

Fui almoçar com o Peter Pan. 
Não houve borboletas, azia ou nós no estômago. 
Não posso negar que estava ligeiramente nervosa... Que estava.

Para começar e para me provar que as pessoas raramente mudam para melhor, fiquei 25 minutos plantada à espera de sua excelência. Não que faça de propósito, mas porque continua na roda viva de vida que costumava ter. Bom pra ele. 
Durante 80% do tempo do almoço fui eu a falar. Contei da casa nova, do escritório novo, da viagem a Nova Iorque e Toronto, da viagem a Amesterdão, do casório da minha irmã, do bebé da minha prima, da próxima viagem que estou a planear... Enfim, imensas novidades que ele quis saber.
Quanto a ele, tudo na mesma como a lesma. E eu senti-me bem com isso. 


Sobre a história das pulseiras, diz que contado por mim parece realmente estranho...



"Há uma semana vi os teus amigos todos no incógnito (bar)"- disse-me.

"Viste? Então ainda bem que fui para casa, caso contrário teria sido um pouco chato..." - respondi eu.

E ficamos assim. 
Eu não perguntei se já tem alguém, ele não me perguntou a mim.

6 comentários:

Lea disse...

É tão bom sentir que nós vivemos e eles continuam no marasmo de sempre! Do que nos safamos!!! :)

Maria do Mundo disse...

E se te sentiste bem, ora que bem!

Moa disse...

Só ganhaste.

Jo disse...

Bem, é sempre bom confirmar que até tomámos decisões certas...

Urban Cat disse...

Fui ler a histórias das pulseiras, estava em falta, agora sim percebo :)
Ainda bem que mudaste para melhor, hã?!

Love Adventure Happiness disse...

Arrumado ;)