terça-feira, 22 de março de 2016

E a mini maratona?

Eram 8.00h da manhã de domingo e o meu despertador estava a tocar.
Confesso que, normalmente, me é extremamente doloroso sair da cama quando tenho companhia cheirosa e quentinha.
Mas, no domingo, a vontade de cumprir o meu objetivo era gigante.
Deixei o homem e voei para a cozinha para preparar panquecas de frutos vermelhos.
Quam faz para um faz para dois e assim foi. 
Chamei táxi (via mytaxi óbvio) e voei para a estação para apanhar o comboio da ponte.
Esperei uns 5 min. pelas minhas amigas e lá fomos.


É importante salientar que esta foi a minha primeira prova de corrida da vida, isso se não contarmos com os corta-mato que fui obrigada a fazer na preparatória...
Tinha a expetativa bem alta, passar a ponte a correr, com vista linda e tal...


Só que não!!
A 5min. da prova começar tive vontade de fazer xixi.
Fui para a fila de um dos toitoi mesmo no início da ponte... Quando deram a partida ainda eu tinha umas 6 pessoas à frente. E as pessoas demoram tanto tempo a fazer o seu xixi! É desesperante...
Quando finalmente consegui  fomos para a partida.
Aquele imagem idílica de que seria lindo correr na ponte não corresponde à verdade.
A prova é mais uma prova de obstáculos do que outra coisa qualquer. 
Queria correr e não conseguia.
As pessoas vão a passear e não querem saber se há gente que quer correr.
As duas faixas exteriores são corredores de selfies.
Corri a ponte toda em cima do tabuleiro de metal.
É mau para correr, mas é melhor que tropeçar nas pessoas, nas crianças, nos carrinhos de bebé, nos cordões humanos a todo o comprimentos, nos pic-nics...

É a corrida mais parola que já vi.
Não percebo como é que ao fim de tantos anos a organização não divide a ponte entre: pessoas que querem correr e pessoas que querem passear.
Fui literalmente atropelada por um senhor que decidiu ir correr com o carrinho de bebé. Passou-me por cima dos pés. 

Conclusão: se algum dia voltar a ir, tenho de ir com mais antecedência, para poder estar na fila da casa de banho e ainda assim conseguir chegar à partida antes da corrida começar.


Tirando isto tudo, a prova correu bem. Corremos as 4 juntas até ao km4 e depois ficamos só duas até ao fim. Conseguimos fazer os 7km sem parar. 
A t-shirt da corrida era muito gira, ofereceram gelados no fim (não sei se feliz ou infelizmente calhou-me um calipo), bananas da madeira (verdes, mas ok...) e mais umas cositas.

De momento, já estamos focadas em continuar os treinos e inscrevermo-nos na corrida de S. Silvestre, que é no final do ano.
Gostava de fazer a do Porto.
Vamos ver.

9 comentários:

Ssol disse...

Antes dessa tens de fazer a Corrida do Tejo! Eu já a fiz duas vezes e não há esses stresses do "Sff, deixe-me passar"! O senão é que são 10Km, no entanto a vista é de cortar a respiração:)

Miúda disse...

No meio de tanta coisa, o bom é que fizeste e conseguiste o que querias :)

Gaja Maria disse...

Ainda assim o desafio foi cumprido :) Muito bem

Agridoce disse...

O que importa é que cumpriste o teu objectivo! Parabéns :)

Tenho pena que não tenha sido a experiência que esperavas! Eu gostei muito! E sim, é muita gente e confuso... Eu posso dizer-te que apanhei o comboio às 8h40, fui sempre a andar, passei as portagens e fui logo para a fila da casa-de-banho, e só me despachei às 10h20, que foi a hora a que fui para a partida. Acredito que a zona da mini estivesse ainda pior!...

Bons treinos para a São Silvestre :)

Sway disse...

Infelizmente é sempre assim, já não me lembro da ultima vez que não fui correr a mini (este ano não fui), acabou por ser uma das tradições com a minha irma..começamos juntas durante os primeiros km's e há spr uma altura que para passar a frente de alguem que vai a andar ou está a tirar fotos (o ano passado ia atirando o tlm de alguem ao rio..alguem q resolveu parar para tirar fotos e deixou cair o tlm qd eu estava a passar) nos perdemos e encontramos spr na finish line. É chato por teres que estar sempre a desviar das pessoas (fico spr aflita dos tornozelos), mas há sempre alguma coisa engraçada para animar. Eu normalmente recuso-me a correr sem musica mas nesta corrida corro perfeitamente sem isso ;)

Lea disse...

Pois, a mini tem destas coisas! Aquilo é mais passeio que outra coisa. Se não fosse o xixi (também sofro disso antes das provas) terias partido nos primeiros lugares e a experiência teria sido diferente.
Eu já participei na do Porto e também gostei bastante!
Boa continuação com os treinos!!

Nuno disse...

Subscrevo na integra tudo o que disseste. Já vou na minha quarta ou quinta corrida (entre minis e meias maratonas) e digo sempre que nunca mais repito a gracinha. Mas os meus amigos lá me convencem, ano após ano, a ir. Contrariado lá vou. Mas odeio com todas as minhas forças aqueles 2 ou 3 primeiros km em cima da ponte.
Dizem-me "não sejas assim, aquilo é mesmo assim, muita gente vai para passear, para ver a vista, porque é uma oportunidade única atravessar a ponte a pé, bla, bla, bla.." - e então? Não podem ir no fim de quem quer correr e vão mais a vontade? Qual a necessidade de furar, furar, furar por entre quem está à espera para correr, na ânsia de chegar lá bem à frente, para depois andar a passo de caracol, seja com o cão, o carrinho de bebé, ou uma familia inteira de mão dada a fazer uma parede intransponivel? A sério que não entendo como é que a organização permite uma coisa destas. O risco de lesão aumenta exponencialmente ao tentar correr em zig-zag em cima da grelha, tropeçar em alguém, etc. Enfim.
Parabéns pela façanha ;)

Dona de Casa disse...

Tb tenho aquela imagem poética que passar a ponte a correr deve ser o máximo, mas pelo que contas é mas é a confusão máxima lol!! Estou tentada a fazer a da Vasco da Gama mas não sei se até lá tenho pulmões para a coisa. Dito isto, parabéns!! Objectivo cumprido 😊

Lea disse...

A da Vasco da Gama dizem que é uma valente treta (amigos meus que já participaram) porque tu só vais um bocadinho sobre a ponte...