quinta-feira, 30 de julho de 2015

O meu Peter Pan

Acho que o meu namorado tem síndrome de Peter Pan.
Na verdade, acho que sempre teve, eu só não lhe sabia o nome. Além disso, achei que com a idade a coisa passasse, mas não me parece. 
Até aqui correu tudo lindamente, até o cancro no passou ao lado.
Agora que é suposto progredir e avançar para voos mais altos é que a coisa começa a regredir e a piorar.


Deixo um excerto que li sobre a síndrome e que encaixa que nem uma luva.



Ora bem, que a seguir a mim, há-de vir uma com 15 anos, só pode...


p.s. - andamos em águas de bacalhau. até ver.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Humor de sexta feira




Ontem li isto e escangalhei-me a rir. Tem mesmo piada e é mesmo verdade (para mim claro!)


Hoje, tal como ontem, o despertador tocou às 6:30h, ontem fui à aula de bike, hoje fiz o treino de musculação. Fiquei rendida... Fazer supino de manhã é mel! Tinha os bancos todos para mim! Que felicidade!!


 



Estou no início... Com os pesinhos mais pequenos do ginásio! 12,5kg para começar e mesmo assim as últimas repetições já custam tanto!

Bons treinos e bom fim de semana!

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Amizades virtuais

E quando o blog nos dá coisas tão boas...

Obrigada à Agatxigibaba pelas palavras que me escreveu. Encheu-me o coração.
Fica um excerto:

"É engraçado, ou só parvo, porque não sei mesmo o que é que te quero dizer. Senti que, de alguma forma, compreendia o que tens estado a sentir ultimamente e que te devia tentat reconfortar de alguma forma. Acho que sabes que és brutal. Na personagem que conheço, obviamente. Mas se é tudo real, és. Porque tens sempre uma alegria e energia incríveis. Porque gostas de viver. E é por isso que senti que devia intervir de alguma forma. Não porque não tenhas quem to diga ou to faça sentir, porque pessoas como tu estão sempre bem rodeadas. Mas porque me identifico com essa forma de estar na vida e sei que há algo que nos detona, exactamente porque vivemos com uma paixão verdadeira pela vida e por quem nos rodeia, de tal forma que quando essas pessoas nos desiludem, nos doi. E é importante não perder pessoas como tu. É importante que pessoas assim continuem a amar desenfreadamente, que não deixem de acreditar e de dar. E eu sei que é difícil, se realmente somos parecidas como me tem vindo a parecer, sei que uma desilusão por parte da pessoa de quem mais gostamos doi muito. Às vezes nem é nada escandalosamente mau, mas para quem - como eu e como depreendo que és - está constantemente a planear e a querer mais, descobrir desinteresse ou incompreensão (ou falta de sincronização) em alguém com quem queríamos partilhar esses projectos é doloroso, eu sei.

Mas também sei que vais encontrar um equilíbrio. E que qualquer gajo com dois dedos de testa não te vai deixar escapar :)

Não vou sequer reler. Provavelmente isto está um nojo e nem usei as palavras certas para exprimir o que realmente quero dizer. Não queria que isto parecesse uma cena do Gustavo Santos..."



p.s. - Afinal o anónimo do outro dia era mesmo uma anónima, que também me escrever mais tarde palavras que eu gostei muito de ler também! Obrigada!

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Tropeços



Hoje adormeci.
O autocarro que costumo apanhar não passou.
Cheguei mais tarde ao trabalho.
Esqueci-me do almoço em cima da mesa.
Vim almoçar a casa e tinha uma carta registada.
Fui rápido aos correios, esperei 20min porque só abrem as 14:30.
Não pude levantar a carta porque é de hoje logo só estará disponível amanhã.
Chego ao trabalho e estamos sem luz.

Vou comer um gelado, acho que mereço e espero que não esteja estragado nem me caia na roupa.

Tenho medo do resto do dia. 



P.s. Ontem tive um comentário anonimo, que me pareceu de alguém que me conhece (ou se calhar até estou enganada) e não se quis identificar, nem publicar. Obrigada pelas dicas, tenho cumprido todas elas. Só me falta mesmo resolver o problema. 

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Diz que faz hoje um ano

Hoje os meus pais passaram por Lisboa e vieram almoçar comigo.
Entrei no carro e a minha mãe começou logo à procura de qualquer coisa.
Deu-me um embrulho e disse:

"Faz hoje 1 ano."

Sabia lá eu o que é que fazia 1 ano... Abri e saiu-me este Santo António.


Faz hoje um ano disto.

"Mãe, o Santo António é o Santo dos casamentos, não é das cirurgias..." - vai daí, ainda me faz mais falta o Santo António,  do que outra coisa qualquer.


Faz hoje um ano e deram-me comprimidos para dormir bem na noite antes da cirurgia. 
Ironias do destino, ontem também tomei um comprimido para dormir, que o meu cérebro não me tem deixado dormir descansada.
Hoje, um ano depois, e pela 1ª vez, liguei para a psicóloga do hospital para agendar uma conversa com ela.

"Oh L.! falei ontem em si. Ia ligar-lhe hoje! Temos andado desencontradas e eu estava muito preocupada consigo."


Tenho medo desta mulher, mas pode ser que me ajude.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Tenho:

1 - Um nó no estômago;


2 - Zero vontade de treinar.



segunda-feira, 13 de julho de 2015

O que eu gosto?



O que eu gosto é de escrever coisas boas, para ver se espanto as más. Aqui vai:


O Casamento do ano!!!

É incrível que já passou mais de uma semana.
Os noivos já foram de lua de mel e eu já fui a outro casamento...

O casamento correu lindamente.
O espaço, como se pode ver, é absolutamente lindo, ninguém diria que é um jardim público de Lisboa, onde estavam a decorrer pic-nics ao mesmo tempo que o nosso casamento.
A minha roupa, já conheciam. O cabelo, pensei que não daria para fazer nada, mas a cabeleireira, que foi lá casa pentear as minha mãe e irmã, olhou para mim e disse:
"Espera lá que eu vou levantar-te o cabelo todo"
Com jeito e muita laca, ficou a parecer que tinha metido os meus dedinhos numa tomada. Isto, aliado à maquilhagem delas e à manicure, fez uma explosão bombástica e senti-me a madrinha mais bonita do mundo. Ouvi comentários até de pessoas que não conhecia bem!

Fiz o porta-alianças, como miúda prendada que sou. Ficou fofinho, fofinho!
E a noiva gostou.


Os missais que a minha irmã me ajudou a fazer ficarem bonitinhos, a moldura que idealizei e pendurei numa árvore ficou tão fixe, que o montes de gente lá tirou fotos, com as hashtags e balões de diálogo que também fiz e os acessórios que comprei (o pessoal gostou tanto que não sobrou nadinha para recordação no final da festa...)



Apanhamos um dia fenomenal, houve música ao vivo durante o cocktail, malta animada, comida q.b., não andei a rebolar graças a Deus, dancei muito, sempre descalça que já não podia com os tacões. Foi muito bom.

A minha ideia para o ramo (não minha porque me inspirei noutros sítios) ficou linda de morrer, ainda não tenho fotos, mas assim que tiver mostro-vos. E não, não fiquei com o ramo, para alegria de mr.Bono.

Casório em poucas imagens:






A melhor madrinha do mundo, que sou eu, claro.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Storms


O cancro não me deixou infeliz.
O cancro não me tirou o sono.
O cancro não me descontrolou.
O cancro não me deixou sem chão.

E agora um gajo, há tanto tempo que não lhe chamava gajo, faz-me estas coisas todas.
F*da-se.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

A malta do minho é mesmo fixe

Hoje inscrevi-me num curso que me vai tirar uns aninhos de vida.
Telefonei para a empresa formadora, para combinar pagamentos e fazer algumas perguntas. Empresa de Braga, secretária super simpática e com uma pronúncia à Braga (sim, que quem é do norte distingue as pronúncias) super carregada!

Preenchi no site a minha inscrição para a formação em Lisboa.
Recebi a resposta abaixo:


"Boa tarde Arq.,

confirmo recepção da inscrição e cartão de cidadão.

Reparei que é natural do Norte-Viana Castelo!


Ficamos aguardar restantes documentos.
Obrigada"




Adoro este regionalismo.
Larguei umas gargalhadas!

terça-feira, 7 de julho de 2015

Crónicas de um treino

Ontem, 2ª feira, às 19h no ginásio, já se sabe como é.
Voltei a ter o supino plano no meu novo plano de treino... a verdade é que quase nunca o tenho feito porque os bancos estão sempre ocupados, ou porque tenho vergonha de não conseguir...

Ontem, fui deixando o supino para o fim... e quando acabei tudo, dei mais uma espreitadela para os bancos e estavam ocupados. Decidi ir embora. 
O meu treinador, sempre de olho em mim pergunta:

"O que querias fazer?"
Fiz-lhe o movimento dos braços.
 "anda cá"
E lá fomos nós para os bancos.


Chegamos lá e virou-se para um rapaz:
"Oh 'não sei quantos' aqui a L está há imenso tempo para vir fazer supino e tu nunca mais desamparas a loja!"

"Já podia ter dito, que eu saía logo! Eu sou careca e tenho cara de mau, mas podes falar comigo quando for preciso" - respondeu o rapaz com um grande sorriso.

Depois de tanta simpatia disse-lhe: "Então vais-me socorrer aqui com a barra, que eu tenho medo de não ter força."

Agora imaginem o cenário.
Eu deitada no banco, barra em punho, o man atrás de mim em posição alerta e a contar alto as minhas repetições. Que vergonha.

No final ainda me disse:

"Isso foi muito fácil, acho que podes por 5kg de cada lado."

segunda-feira, 6 de julho de 2015

A despedida de solteira do ano

(vamos à despedida, antes de contar sobre o casamento que foi no último fim de semana!)

Sendo eu a madrinha do casamento do ano, claro está que tive de organizar a despedida de solteira do ano. Não foi a 1ª despedida que organizei, teve os problemas e as indecisões do costume, mas no final de contas foi mesmo a melhor despedida do ano.
Éramos apenas 8, mas quanto menos melhor, pra não ser uma confusão. O grupo era bem heterogéneo, com primas, uma amiga de curso, outra de trabalho, outra de infância, outra mais recente e uma cunhada holandesa. 

Rumamos a Setúbal, para a marina das Fontaínhas, onde nos iriamos encontrar com a tripulação de um barco, da SeaLifeLovers, para fazermos o passeio no rio Sado (Arrábida, Tróia...). Chegamos com meia hora de atraso, depois de ter avisado, e não houve stress.
A Susana e o João receberam-nos muito animados e prometeram uma viagem muito divertida.


Quando avistamos o Tina G ficamos com a certeza de que iria ser uma experiência fantástica.
Entramos uma a uma, e começamos o striptease instantâneamente, com coroas de flores, óculos e protetor solar à mistura. Ainda não estávamos despachadas, já o barco balouçava ao som dos motores e da música que ecoava nas colunas exteriores.
O João deu-nos a indicação para nos despacharmos para o welcome drink, servido no terraço superior do barco (sim, porque o barco tinha 3 níveis!).
Entre cerejas, melão, bolinhos e vinhos rosé e branco, sempre a ser servidos, fomos apreciando a vista, muito eufóricas.




alforrecas gigantes

Dançamos, rimos, bebemos oh, se bebemos... pelo menos eu comemos, e ainda paramos frente a Tróia, para uns mergulhos no rio. A água estava fantástica, o tempo não podia ter sido melhor, com calor e vento quente. 


Depois do banho tivemos direito a kilos de batatas fritas e esgotamos o stock da SeaLifeLovers.



Terminamos o passeio 4h e meia depois de ter começado.
Todas adoramos e eu não me importava de repetir, num fim de semana normal, sem ter algum motivo especial senão o de curtir a vida.
Às 20.30h estávamos distribuídas pelas várias casas para tomar banho e arranjarmo-nos para o jantar. Conta-se que na minha casa andavam 3 miúdas nuas, a dançar, meias bêbedas, mas eu não confirmo.
O jantar foi marcado para as 22h, no Restaurante Zeno, no Casino Estoril, um restaurante italiano muito, muito agradável, com umas pizas divivais (passou apenas uma semana e eu já lá voltei...).



Saídas do casino, atravessamos a estrada e fomos para o Tamariz Beach Club.
Acabei de ver a foto que nos tiraram e estamos só lindas de morrer, claro.

Viva a noiva, que já casou!