quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

E morreram felizes para sempre

"A data do meu inter­na­mento no Hos­pi­tal Psi­quiá­trico Júlio de Matos estava já mar­cada há quinze dias. Quando ontem che­gou o dia, não pude escon­der o ner­vo­sismo. À hora com­bi­nada, 19 horas, lá estava eu à porta do Pavi­lhão 30, com mais umas deze­nas de paci­en­tes a quem, pro­va­vel­mente, teria sido diag­nos­ti­cado o mesmo mal incu­rá­vel, segundo dizem os espe­ci­a­lis­tas qual­quer coisa que a ciên­cia médica ainda não explica bem mas que anda nas fron­tei­ras da curi­o­si­dade mór­bida e do sín­drome de Stendhal. Pavi­lhão 30, logo aí onde, como reza a his­tó­ria, eram tra­ta­dos os casos mais gra­ves de dis­túr­bios psi­quiá­tri­cos. Logo à entrada, fiquei com uma ideia daquilo que me espe­ra­ria nas pró­xi­mas horas: deve­ria mover-me pelos dois anda­res do edi­fí­cio e do seu labi­rín­tico cir­cuito com uma más­cara bem colada à boca, sem poder sole­trar uma pala­vra, no meio de uma cor­tina de fumo, e com um som per­ma­nente de pista de aero­porto a ribom­bar nos ouvi­dos. Nada tran­qui­li­za­dor, por­tanto."



Foi assim, ontem, o meu serão.
Eu e mais 3, depois de comermos um hamburguer no prato, mesmo bom, na Hamburgueria Barrosã, em Alvalade (podem ir que é boa, as sobremesas foram uma agradável surpesa!) rumamos ao Hospital Júlio de Matos, que para quem não sabe é um hospital psiquiátrico. 
Tinhamos entradas vips, o que nos deu acesso a uma espécie de laboratório, com bebidas em tubos de ensaio, as plantas do edifício para que as pudessemos estudar e as fotografias de todas as personagens, com o respetivo nome.
Teatro Imersivo é o que lhe chamam.
Para mim foi uma experiência surreal, num hospital psiquiátrico,  à noite, com fumo, máscaras de hospital, sem telemóvel, sem poder falar, sem poder dar a mão (mas eu fui rebelde e dei umas quantas vezes), com um monte de gente desconhecida, a percorrer salas de tratamento, corredores e escadas, seguindo as loucas personagens, com corridas, tentando não intreferir nos seu percursos e tentando perceber como se desenvolvia a trama.

Gostei mesmo muito e aconselho.


Fica o trailer.
(é imaginar isto, com 50 pessoas por todo o lado, atrás dos atores)


8 comentários:

Ana Jähne disse...

fiquei com MUITA vontade de ver isso.

agatxigibaba disse...

Ahhh, que fixe, deve ser brutal!

Inspired disse...

Deve ser completamente surreal!... :)

Maria do Mundo disse...

É daquelas experiências que eu gostava de ter. Todo esse mundo me fascina.

Raspberry disse...

Deve ter sido incrível! Adorava ir a uma cena dessas!

VerdezOlhos disse...

Isso está muito bem escrito, adoro! E parece bem interessante, como dizes, deve ser uma experiência surreal!

Gaja Maria disse...

Brutal!

Lea disse...

Eh lá! Deve ter sido uma experiência maravilhosa!
Gosto de teatros assim...em que parece que também somos atores...
Já participei em algo semelhante e adorei a experiência!