terça-feira, 27 de outubro de 2015

O dia do massacre

Ontem, ia pacificamente e finalmente fazer a recolha de sangue para fazer o teste genético, pelo qual esperei mais de um ano.
Cheguei ao hospital da Estefânia (pediátrico) dirigi-me ao laboratório e parecia que tinha havido uma explosão de crianças e mães grávidas. Mais uma vez, lê estava eu, sozinha e completamente fora daquela realidade. Se enquanto não tinha cabelo todos me davam lugar para sentar, ali, era a ultima a ter prioridade... Quase tive que roubar descaradamente o lugar a um pai, que não sua ingenuidade deve ter pensado que eu estava grávida e me deu gentilmente o seu lugar.

Esperei quase uma hora para ser atendida, com dois tubinhos lindos cor de rosa.


Fui chamada.
Entrei, sentei-me no cadeirão a olhar para os desenhos nas paredes para as crianças. Avisei logo que as minhas veia estão mesmo fracas, que é muito difícil tirar sangue ou fazer o que quer que seja. Não sei porque, estava nervosa.

A enfermeira espetou, encheu o 1º frasco (lento mas tudo bem) e depois, quando meteu o 2º, não sei se do vácuo, se do jeito que deu, apenas conseguiu umas pingas e pufffff!!! A veia rebentou! A enfermeira ficou bem atrapalhada "aí o que eu fiz aqui, desculpe..."

L das horas é forte, mas naquele momento, começou a sentir-se com náuseas, tentou resistir, mas não conseguiu.
"acho que não me estou a sentir muito bem..."

Deitou-me a cadeira, deu-me água para beber e deixou-me descansar um bocadinho. Passa outra enfermeira e resolve tentar a sua sorte. Volto a avisar que as veias estão meias mortas, que fiz muitos tratamentos... "para o que?" - "para o cancro senhora enfermeira". Baixou os olhos e continuou a tentar encontrar alguma veia. Decidiu tentar no interior do pulso. "Má ideia" - pensei eu. Espetou, tudo muito bem, mas e o sangue?? Não havia... Nem uma gota!! Frustração de novo. "Peço desculpa, mas não deu." Pede uma compressa fria e mais uma mão auxiliar para carregar no furo, enquanto procurava outra veia.

Acaba por chamar uma colega que estava a entrar ao serviço. "Anda cá tu tentar, que pode ser que consigas."
E eu lá continuava deitada, com náuseas, as mãos a suar frio e um nervoso na barriga.
À 3ª é de vez e conseguimos uma veia já quase no bícepe. 

Saí de lá e fui a pé para o trabalho para apanhar ar e chuva. 
Resultado em imagens:



Um amigo perguntou-me se já é para o halloween...
Vou de zombie.

16 comentários:

Ana Jähne disse...

odeio muito colher sangue. e odeio mais ainda médico/enfermeiro que näo escuta o que a gete fala.
mas enfim... que bom que, mesmo entre trancos e barrancos, passou.
espero que os resultados valham a massacre ;)

Moa disse...

credo, deixaram-te linda! beijinho

Tim disse...

c'um caneco

agatxigibaba disse...

Acabei de chegar do hospital, onde fui fazer análises e... Ainda bem que só li isto agora, porque este relato deixa qualquer um nervoso.
(pelo menos é um disfarce super natural :p)

VerdezOlhos disse...

Bem, é horrível quando nos picam várias vezes :/ imagino como deve ter sido ainda por cima estando preocupada com o resultado :/ Força, tu és a coragem é mulher. =) Beijinhos

sandra disse...

Que martírio, deviam de ser mais eficientes sinceramente...

Maria disse...

quando te leio fico com a certeza que es uma lutadora!!!!

L. das horas disse...

Oh coitadinhas... o meu corpo é que já não está como devia estar e é mesmo muito dificil fazer o trabalho delas... eu sinto mesmo que elas se sentem mal.

L. das horas disse...

Estes resultados são mesmo importante... vamos esperar para ver!

L. das horas disse...

Pois, então foi mesmo sorte não teres visto ehehe

Benedita disse...

Mil beijos!!!

MAG disse...

Credo. Que horror. Nunca fiquei assim, nem perto disso! As melhoras rápidas!

Jo disse...

Eu só de ler arrepiei-me toda... Agulhas mexem sempre comigo. Um beijinho grande e espero que isso já esteja menos negro!!

Gaja Maria disse...

Abraço L. vai tudo correr bem :)

Lea disse...

Ai...da proxima vez que tiver de fazer analises espero não me lembrar deste relato!!!

Adriana Rodrigues disse...

Tenho pavor a agulhas! Quando era criança as minha veias eram "bailarinas", e para me colherem sangue tinham de me picar 3 e 4 vezes sucessivas. Foi por essa e por outras que ganhei pânico ás agulhas :/

Beijinho, Beauty Queen