quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

E sobre 2015 (agendado)

O que desejo eu para 2015?

Não podia desejar mais do que saúde. E força para continuar a dar porrada neste cancro que me quis confrontar. 

E objetivos?
Acabar a quimioterapia (só faltam 2 shots). E fazer a rádio. E acabar a imunoterapia. E começear a hormonoterapia.
 E depois ir viajar.

Além disso, tenho um grande objetivo no ginásio, que por agora ainda não pode ser levado a 100%.
Vou ficar bomba. 




Sempre gostei de listas de objetivos.
Este ano não faço, por motivos óbvios, mas vi uma interessante na Notícias Magazine de há 2 dias e que gostava de cumprir.
Fica a dica:


 Janeiro: Feira do Fumeiro de Montalegre
Fevereiro: Estrei do Filme As 50 Sombras de Grey
Março: Tango Pássion (CCB, CAE Figueira da Foz e Coliseu do Porto)
Abril: Peixe em Lisboa
Maio: Wings for Life World Run (Porto)
Junho: Estreia do Filme Mundo Jurássico
Julho: Festa dos Tabuleiros em Tomar
Agosto: Festas das Gualterianas em Guimarães
Setembro: Vindimas e Comboio Histórico no Douro
Outubro: Feira Gastronómica de Santarém
Novembro: Feira Nacional do Cavalo na Golegã
Dezembro: Estreia Atar Wars - O Despertador da Força


Boas entradas!!!

Surpresa!

Adormeci já passava das 8:30h.
Acordei eram 14:00h. Muito bom, que dormi seguido.

Cheguei à sala e tinha uma encomenda para mim, vinda de Belgrado.
Olhei para o remetente e, surpresa das surpresas, não conhecia.
Abri. 


Realmente não era alguém que eu conhecesse.
Uma amiga da minha irmã, de Belgrado, sabendo dos acontecimentos do meu último ano resolveu enviar-me um postal de natal e dois presentes, made in Serbia, um baton vermelho e uns brincos com uma mensagem inspiradora. Obrigada Maja.

"Nothing is impossible. The world itself says: i'm possiible!"


Made my day!

Vou pensar em coisas boas.

Nunca tinha ouvido ninguém queixar-se de insónias devido à quimio.
Na verdade, as enfermeiras falaram delas, quando debitaram o rol de possíveis efeitos secundários desta poção chamada docetaxel (não parece nome de loja de gomas?).

Da última vez passei noites sem dormir, mas como tinha febre e dificuldade em respirar achei que seria disso. Mas não. 
Nas últimas 3 noites não adormeci antes das 3/4h.

Neste momento, são 06:43h e não preguei olho.
Já vi o facebook e o instagram de fio a pavio.
Às 4h da manhã conversei com a minha mana via whatsapp, que lá do outro lá do mundo é dia.
Às 5h saí da cama. Enerva-me estar lá sem dormir.
Já fiz chá. Já fiz xixi.
Já vi um programa de casas e outro de cozinha.
Resolvi vir ler blogs.
Continuo sem sono. Nada. Nem uma comichão nos olhos.


Cheira-me que vou passar a meia noite de amanhã aterrada.
Ou não.










7:00h. Bom dia.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

6 de 8. 2 to go!

Há dois dias tive a consulta de oncologia, para ver se esteva tudo bem para fazer ontem a 6º poção mágica. Não estava como devia ser, mas o médico mandou avançar.

Perguntei-lhe "Ah e tal, vou nesta quadra para o minho, como faço se me acontecer alguma coisa? Posso ir lá ao hospital? Levo alguma declaração a dizer que tratamento estou a fazer?"

"Minho? Não! Um paciente oncológico não anda a viajar, tem que ficar em Lisboa!Ainda por cima tão longe e com tanto frio! Não percebeu que este tratamento é muito tóxico? Quando acabar o tratamento tem tempo de nadar para um lado para o outro..." - disse isto sem sequer olhar para mim.

Até me vieram as lágrimas aos olhos.

"Mas dr., ir e voltar logo a seguir ao Natal. Lá também fazem quimios se precisar de alguma coisa..."

"Não! Não pode sair de cá."


Fiz-lhe um maguito mental.
Saí da consulta e fui ao hospital da quimioterapia perguntar às enfermeiras a opinião delas.

" O dr. é muito radical e cauteloso, mas vá, faça as malas. Não vai ficar cá sozinha. Além disso se precisar ligue para cá, ou vá ao hospital de Viana, diga qual o tratamento que está a fazer. Os efeitos secundários são sempre os mesmos, eles vão sabê-la ajudar."

Ontem mal saí da quimio chispei-me para o minho.


Agora sim é Natal!!!

Feliz Natal a todos!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

De mim para vós



Servir de inspiração para os outros a mim sabe-me bem.
Saber que o que faço, digo ou penso ajuda outras pessoas.
Esta coisa de ter tido (sim, tive, já não tenho) cancro de mama tem muito que se lhe diga. Acho que lidei/lido com isto de forma muito positiva. Até me podem dizer que o meu é menos grave que os outros; ou que não fiz mastectomia (que não fiz, é verdade); ou que não tinha metástases. Tudo verdade. Dentro do mal, foi tudo muito bom. Mas mesmo assim, encarei e aceitei tudo muito bem. Antes de ter a certeza do que seria ponderei tudo muito bem, pus todas as possibilidades em cima da mesa, convicta de que o que quer que fosse se resolveria. E eu, só queria que me dissessem o que tinha que fazer para ultrapassar este processo todo.

Desde início chorei apenas duas vezes. Não compulsivamente, mas sim de forma calma.
Na 1ª ecografia em que me disseram "isto pode ser...", saí do consultório, tinha mr.Bono à minha espera e chorei. A seguir fomos para o Rock in Rio.
Da 2ª vez, estava sozinha em casa e foi quando me apercebi que me estavam a cair os pelos púbicos. Assim, de repente dá vontade de rir, pois ninguém gosta deles e toda a gente sonha com depilações definitivas. Mas eu, naquele momento, percebi que o processo visual estava a começar. E pronto, foram umas lágrimas e depois ri-me.
Quando o cabelo começou a cair já não chorei. Rapei-o logo.


Numa das últimas sessões de quimioterapia, em conversa com a psoicóloga, ela dizia-me "você é um caso modelo para nós", isto, a propósito de eu continuar a bombar no ginásio. E disse-me também que, no meio disto tudo, eu tenho um importante papel didático para com as outras pessoas. As pessoas ainda se assustam com a palavra tumor, ou cancro (com alguma razão, é verdade) e cabe-me a mim desmistificar um pouco essa ideia. A ideia de que um paciente (e não doente) oncológico está agarrado à cama ou ao sofá, que não tem forças ou vontade de fazer o que quer que seja e tem ar de doentinho.
 Eu tenho vontades (de fazer amor também), eu tenho força, eu trabalho, janto fora, saio à noite (ainda que com alguns cuidados). A minha vida não mudou assim tanto, Ganhei preocupações e coisas para fazer. Mas tudo isto não é o fim do mundo. As coisas fazem-se.

Há 2 dias uma rapariga abordou-me na sala de musculação. Bem que a tinha visto a olhar para mim, enquanto puxavamos ferro frente a frente. Achei que me estaria a confundir com alguém que conhecesse.
Afinal não.
Estava eu a alongar vejo-a vir em direção a mim. Tirei os phones e sorri. Veio dizer-me que sentia muita admiração por mim, por estar ali, naquela situação, que quando foi ela (há 18 anos) não tinha tido a minha coragem. Deu-me os parabéns e contou-me um pouco da sua história. Pediu-me desculpa, no fim, por me ter interrompido, o que é uma grande tolice pois eu gosto de ouvir as outras pessoas com histórias semelhantes. E gosto de servir de exemplo e de motivar.



A psicóloga tinha razão.
Tenho um papel didático no meio disto tudo.
A vocês que me lêm, espero dar-vos boas energias para ultrapassarem o que quer que vos apareça no caminho. Ou que sirva de inspiração para amigos/as vossos.

Hoje vai ser o 4º dia consecutivo que vou ao ginásio.
E adoro. E sinto-me lindamente.
Obrigada a todos pois também me dão forças a miim.


Estava para fazer esta reflexão há tanto tempo.
E hoje fi-la em menos de nada.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

I'm a queen


Prenda de aniversário da minha colega de trabalho.
Tão eu.

Sobre o aniversário

E quando as expetativas são baixas, tudo é extremamente fantástico!
Foi assim, com o meu aniversário.
Depois de um dia intenso de trabalho, fui rapidinho ao ginásio.
Estava combinado ir jantar com mr.Bono, num sítio escolhido por ele.

Mais uma vez não me desiludiu com a escolha.
Fomos ao restaurante XL, frente à assembleia da república. 
Comida muito boa (a especialidade são os bifes), atendimento acima da média, espaço bonito e cuidado, preço alto, também. Deixamos o carro em 2ª fila, entregamos a chave e quando saímos estava muito bem estacionado. Assim sim, sem preocupações.
Aconselho vivamente.

Casca de batatas fritas, pão com azeite e alho




Como não havia festa mr.Bono lá arranjou maneira de me trazerem uma mousse com uma velinha.
E depois, surpresas das surpresas.... tcham tcham tcham tcham! mr.Bono puxa de um saquinho da Intimissimi, com um presente embrulhado em papel da Espaço Casa...
Mas não!!! Afinal o presente era isto:


E para quem não sabe é um Polar, com frequencímetro, para treinar, com muitas funções que eu ainda não sei bem, pois ainda não li as instruções. Eu queria tanto!!! 
Fomos para casa, eram 23h.
Toco à campainha  para a mate me abrir a porta. Em vão, não abriu. Como hoje ia viajar, pensei que talvez já estivesse a dormir. Entro em casa, tudo escuro. A mate não está no quarto. Chamo por ela. Nada.
Vou para a sala. Vejo uma luzinha ao fundo do corredor.
Mal entro na sala...

PARABÉNS! 
E começa um coro a cantar os parabéns. A luzinha eram as velas no bolo.
Tinha 13 amigos escondidos à minha espera. 
Fiquei tão feliz!!
Obrigada.

domingo, 14 de dezembro de 2014

29

Hoje às 16h recebo uma chamada da minha irmã.


"Parabéns!"

"Ah?"

"Aqui já é meia noite, para mim já fazes anos!"


Pois é. Do lado de lá já faço anos. Este ano parece que nem os faço. Não há lista de presentes, não há euforia, não há preparativos nem festa. Quase nem me lembro que é amanhã.


quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

a melhor árvore de natal é a nossa.

Tenho a certeza que a nossa casa ganharia qualquer concurso de decoração de Natal.

Qualquer semelhanla entre a bola e o nariz da operação nariz vermelho é pura realidade.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Obras bonitas

E porque nem tudo é mau (estou melhor, obrigada antibiótico e  antifungico), hoje mostro o apartamento que um amigo meu reabilitou.


Herdou-o da avó, um pequenino t2 na Estefânia, e fez dele um belo t1, mais espaçoso e luminoso.
O elemento chave é o móvel a todo o comprimento, que contém a porta de entrada, o "louceiro", o frigorífico e a entrada para a instalação sanitária, culminando no escritório, fazendo a separação do espaço ao mesmo tempo que serve de estante.
A mobilia antiga pertencia à casa e parece-me em perfeita harmonia com a modernidade restante.

Bonito, limpo e funcional.

Digo eu, que já lá estive.








Fica o link para quem quiser ver as fotos todas.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

news

Desde o último post que as notícias não são boas.
Desde 5ª que tenho febre.
As dores acabaram por passar, mas ganhei outras coisas.
Nariz em ferida, lábios e boca com aftas, garganta e língua inchadas...
Amanhã devia ir trabalhar mas não posso.
Vou antes para o hospital, sempre bom.

Darei notícias.
Beijinhos.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Ou não

Aahha!! Que afinal as dores musculares não me pouparam e já me fizeram tomar um ben-u-ron, que nada fez. Já não me lembrava de me doerem os dentes, a lingua e a garganta, os abdominais, as pernas e a cabeça, tudo de uma vez.
É giro que parece que tenho gripe, mas não tenho.
Ai corpinho confuso!

E o que me custou o ginásio ontem? Aiii... acho que nem dormi bem com as dores nas pernas.


Ou não.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

5ª poção mágica - 3 to go

Para quem não anda atento, fiz o meu tratamento n.º 5, no SPA dos Capuchos na passada 2ª feira (há 2 dias, portanto). E qual é a novidade?

A novidade é que mudei de medicamento, já não levo com o líquido vermelho, que me fazia m*jar laranja durante 4 dias, que me punha a boca a saber a químicos e me enjoava durante meia dúzia de dias e que me fazia não ter fome, ou seja ter enjoos.

 Depois de passar 8h seguidinhas no SPA, de pijama hospitalar, uma calça azul e uma camisa verde, metidinha na cama, lábios cor de rosa e gorro azul, a dormir que nem uma bela adormecida enquanto levava na veia com mil e um saquinhos diferentes, ontem acordei bem. Adormeci sem enjoos e acordei bem. Hoje já vim trabalhar.
Já me ligaram do SPA a perguntar se estava bem. 
"Estou sim sra., não noto nada de mal".

A verdade é que este novo remédio tem muitos e piores efeitos secundários:
- Perda o cabelo que me restou, obrigadinha que esta coisa também não me serve de nada;
- Perda das sobrancelhas e pestana - whyyyyy???
- Problemas cardíacos... a sério? o ginásio como fica?
- Dores musculares tão fortes que talvez o ben-u-ron não resolva... ai o caneco.
- unhas dos pés grossas e das mãos pretas... e não me faltava mais nada.


Vamos esperar que nada disto seja assim e que mais uma vez eu me destaque pela positiva.
Assim como quem não quer a coisa, vou já hoje ao ginásio, antes que estes malditos sintomas apareçam. Além disso tenho um motivo estrondoso para lá ir, não acham?

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Sobre o almocinho

Antes de mais, o almoço de família correu muito bem.
Na noite anterior já andava o mr.sogro a por a mesa e a contabilizar em voz alta: "Doze, somos doze com com a L."

Cheguei lá, de orquídea cor de rosa em punho, cheia, de flores, tropecei num dos cães que se atravessou nos meus pés, subi as escadas e lá estava eu no hall de entrada. Veio o mr.sogro simpático, que eu já conhecia de anteriores passagens, não como namorada do filho, mas como amiga. Sorrisinhos, dois beijinhos e foi chamar a mulher.
Lá veio a senhora, toda suada de estar a cozinhar, dei-lhe a flor, não lhe dei logo dois beijinhos. Depois queria dar os beijinhos, mas a flor estava a "empecilhar", Ficamos ali no jogo o "vai não vai" e lá me cheguei para os beijos. Ela envergonhada pelo suor, demos um beijos quase de raspão, enquanto ela falava do suor e eu dizia que não tinha mal. Mostrou-e que já tinha um sítio com mais orquídeas, mas que agora estavam feias e que esta iria para lá também.

Passado este embaraço, olhou para mim de cima a baixo e disse numa voz estridente, característica:

"Tu és mesmo assim tão alta ou é dos tacões? - olhou para eles e voltou à carga - "és mesmo alta e eu que sou tão pequenina".

mr.Bono não é o melhor com as apresentações.
Olhei para a cozinha e vi lá as tias avós. Hora de me desenrasca sozinha. Fui lá, dois beijinhos a cada uma, com o meu nome e siga, trabalho feito.

Durante o almoço, mr.sogro veio encher-me o copo, um monte de vezes. E falar-me dos pães fantásticos que tinha feito no forno de lenha, com chouriço e toucinho! Enchi a barriguinha antes do cabrito. Veio o cabrito... felizmente não tinha ninguém à minha frente a controlar. Comi um bocadinho, pequenino ihihihh.

Nesta altura, já me tinha apercebido que os cães ficaram fora de casa, por minha causa, penso eu. Tadinhos que ficaram sentados à porta durante o almoço todo, à espera de mimo.

Depois as sobremesas.
O pudim estava divinal, deu-me vontade de dizer à mrs.sogra que estava muito melhor que das outras vezes que mr.Bono mo trouxe dum outro qualquer fim se semana, mas contive-me. Fui obrigada a provar o pão de ló caseiro, que também estava muito bom. E eu já não podia comer mais nada.

Duas horinhas no sofá a ver o Umplugged in New York dos Nirvana e um concerto do Jack Jonson e já eram horas de eu voltar para Lisboa. Arre. Telefonaram a todos outra vez para lanchar e cortar o bolo. Lá voltaram todos, as tias avós, os tios, a prima e o namorado, que anunciaram um bebé a caminho. Vieram-me as lágrimas aos olhos, ultimamente ando muito, muito sensível, raios!
Fui novamente obrigada a comer um gelado bomba calórica, com natas, leite condensado, mars, chocolate... damn, era ótimo mas eu ainda tinha a digestão por fazer. Cantamos os parabéns, levei a primeira fatia num guardanapo, despedi-me de toda a gente com beijinhos apenas para a dona da casa, que me deu um copo para a mão, para brindarmos à minha saúde. Deu-me a mão e desejou-me força para a sessão de quimioterapia de 2ª feira (ontem)...


O feedback foi bom. a mami disse que sou simpática e sempre bem disposta,o meu sorrisinho sempre foi a minha maior virtude.