quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

De mim para vós



Servir de inspiração para os outros a mim sabe-me bem.
Saber que o que faço, digo ou penso ajuda outras pessoas.
Esta coisa de ter tido (sim, tive, já não tenho) cancro de mama tem muito que se lhe diga. Acho que lidei/lido com isto de forma muito positiva. Até me podem dizer que o meu é menos grave que os outros; ou que não fiz mastectomia (que não fiz, é verdade); ou que não tinha metástases. Tudo verdade. Dentro do mal, foi tudo muito bom. Mas mesmo assim, encarei e aceitei tudo muito bem. Antes de ter a certeza do que seria ponderei tudo muito bem, pus todas as possibilidades em cima da mesa, convicta de que o que quer que fosse se resolveria. E eu, só queria que me dissessem o que tinha que fazer para ultrapassar este processo todo.

Desde início chorei apenas duas vezes. Não compulsivamente, mas sim de forma calma.
Na 1ª ecografia em que me disseram "isto pode ser...", saí do consultório, tinha mr.Bono à minha espera e chorei. A seguir fomos para o Rock in Rio.
Da 2ª vez, estava sozinha em casa e foi quando me apercebi que me estavam a cair os pelos púbicos. Assim, de repente dá vontade de rir, pois ninguém gosta deles e toda a gente sonha com depilações definitivas. Mas eu, naquele momento, percebi que o processo visual estava a começar. E pronto, foram umas lágrimas e depois ri-me.
Quando o cabelo começou a cair já não chorei. Rapei-o logo.


Numa das últimas sessões de quimioterapia, em conversa com a psoicóloga, ela dizia-me "você é um caso modelo para nós", isto, a propósito de eu continuar a bombar no ginásio. E disse-me também que, no meio disto tudo, eu tenho um importante papel didático para com as outras pessoas. As pessoas ainda se assustam com a palavra tumor, ou cancro (com alguma razão, é verdade) e cabe-me a mim desmistificar um pouco essa ideia. A ideia de que um paciente (e não doente) oncológico está agarrado à cama ou ao sofá, que não tem forças ou vontade de fazer o que quer que seja e tem ar de doentinho.
 Eu tenho vontades (de fazer amor também), eu tenho força, eu trabalho, janto fora, saio à noite (ainda que com alguns cuidados). A minha vida não mudou assim tanto, Ganhei preocupações e coisas para fazer. Mas tudo isto não é o fim do mundo. As coisas fazem-se.

Há 2 dias uma rapariga abordou-me na sala de musculação. Bem que a tinha visto a olhar para mim, enquanto puxavamos ferro frente a frente. Achei que me estaria a confundir com alguém que conhecesse.
Afinal não.
Estava eu a alongar vejo-a vir em direção a mim. Tirei os phones e sorri. Veio dizer-me que sentia muita admiração por mim, por estar ali, naquela situação, que quando foi ela (há 18 anos) não tinha tido a minha coragem. Deu-me os parabéns e contou-me um pouco da sua história. Pediu-me desculpa, no fim, por me ter interrompido, o que é uma grande tolice pois eu gosto de ouvir as outras pessoas com histórias semelhantes. E gosto de servir de exemplo e de motivar.



A psicóloga tinha razão.
Tenho um papel didático no meio disto tudo.
A vocês que me lêm, espero dar-vos boas energias para ultrapassarem o que quer que vos apareça no caminho. Ou que sirva de inspiração para amigos/as vossos.

Hoje vai ser o 4º dia consecutivo que vou ao ginásio.
E adoro. E sinto-me lindamente.
Obrigada a todos pois também me dão forças a miim.


Estava para fazer esta reflexão há tanto tempo.
E hoje fi-la em menos de nada.

13 comentários:

DiliciousBlush disse...

És sem duvida uma inspiração, seja pior ou melhor que os outros cancros não importa... Passas-te por uma situação que espero nunca passar, nem nunca saber como é (mas ninguém está livre disso) e sempre encaras-te com uma naturalidade e positividade que nem todos conseguem. Nem todos conseguem ver para além dos problemas e por isso acho que temos muito aprender contigo :)

Maria disse...

Sinto uma imensa admiraçaõ por ti!!

Inspired disse...

Querida L., este post tocou-me muito. A mim, que te conheci há uns anos, miuda acabada de sair da faculdade. Que sempre foste de sorriso fácil e resposta na ponta da língua. Mas que, por trás disso tudo, eras uma miuda frágil. O orgulho que sinto de ti, pela pessoa forte que te tornaste sem, no entanto, perder a doçura, pela tua perseverança, pela tua luta sempre de sorriso na cara e pensamentos positivos.
Há sempre quem esteja pior, já se sabe, mas isso em nada o teu valor. És, de facto, um exemplo para quem está a passar por problemas semelhantes. E mesmo para quem não os tem, como eu. Quando em alguma contrariedade fico mais chateada, penso em ti e em como lidas com os teus problemas.
Só te posso pedir que continues assim!... Porque és um ser fantástico!
Um beijinho muito grande!

Orquídea disse...

oh L. estas tuas palavras puseram-me assim arrepiadinha até às unhas dos pés... És daqueles casos que não se sente aquela pena, como hei-de explicar...sente-se antes da pena uma força INACREDITÁVEL que vem de ti e passa aqui pa gente toda ;)
Espero que esta fase chegue rápido ao fim, eu sei que vais ficar boa! Afinal, com essa força toda ninguém te abate, nem o estúpido cancro! ;)
Por vezes não comento, mas passo por aqui, para saber como vais!
Um xi-coração muito muito apertadinho....

Alexas disse...

É um prazer seguir teu blog :) For real! Obg pela partilha e pela fantástica energia. Recebe um gd beijinho meu

Bigodes de Nata disse...

Ohhh L. até fiquei comovida... Neste momento senti que todos os meus 'dramas', não passam disso mesmo... Se tem solução, resolve-se. Se não tem, está resolvido... Consegues mesmo passar essa boa energia através das tuas palavras!!! Que continues sempre assim! Muitos beijinhos e abraços apertados nessa musculatura toda que tens :)))

Maria M disse...

<3

Jo disse...

:) ♥

Anónimo disse...

E que continues a inspirar a malta, não só no blog mas em todas as frentes da tua vida, por muitos e longos anos
Beijinhos e (+uma vez embora atrasado) parabéns
PQ :)

Opinante disse...

És a maior :D

M.R disse...

És sem duvida um grande exemplo de coragem! obrigada <3

Miss Memories disse...

E serves de inspiração sim senhores! Uma pessoa às vezes queixa-se à grande e com tão pouco... sabe bem "ouvir" histórias como a tua :D

Catarina F disse...

És uma mulher de força e um verdadeiro exemplo de coragem, uma guerreira mesmo!