sexta-feira, 25 de julho de 2014

Preservação de ovócitos

Acabei de me auto-injetar e ainda estou em choque.

Ontem estava nos provadores da Mango a experimentar mais umas blusinhas, quando me ligou o médico que me acompanha. Deu-me luz verde para avançar com os procedimentos para a preservação dos meus ovócitos, pois tinha ficado de consultar a equipa oncológica.


Para quem não sabe, a quimioterapia e a radioterapia têm um risco muito elevado na fertilidade da mulher, podendo-a deixar infértil ou provocando-lhe uma menopausa precoce. O médico alertou-me logo, logo para este facto, mal me disse que teria de fazer estes tratamentos.
Vai daí, comecei a tentar perceber o que poderia fazer para contornar esta situação. Falaram-me que a maternidade (MAC) tinha uma unidade de fertilidade e fui lá pedir informações.

Conclusão:
Há 3 métodos de preservação possíveis.

1. O mais comum para já e o que eu vou fazer. Consiste em estimular os ovários para produzir mais ovócitos e de seguida retirá-los e passar ao congelamento, durante uns anos. No meu caso, em que o meu tumor era hormonodependente, vai-me ser dado um medicamento para que as minhas hormonas não subam.

2. Retirar os ovócitos (folículos) ainda que verdes, amadurecê-los in vitrio e depois o congelamento. Não há qualquer tipo de estimulação ao contrário do anterior. (faz-se apenas no privado)

3. Criopreservação de tecido do ovário. Ainda é um processo experimental, pois é tão recente que ainda não há muitos casos de estudo para criar uma estatística. Muito sucintamente, é retirado um pedaço do ovário, que é congelado, e quando for necessário será implantado de novo na mulher e depois de irrigado normalmente, dará origem a ovócitos sãos (que nunca levaram com quimio ou radioterapia). Sei que se faz na Universidade de Coimbra.


Ontem mal soube que podia começar, liguei para a dra. da maternidade que me mandou ir, à noite, lá, pois estaria de banco e assim iniciaríamos o processo mais rápido.
Depois de gastar cerca de 200€ em medicação (sim, é muito e ainda não é o tratamento completo) hoje fui aprender a administrar os injetáveis.
A minha mãe foi a primeira a dizer que não me ajudava nesse processo. Tal como eu, agulhas e afins não é o seu forte. mr.Bono ofereceu-se logo para me dar as injeções porque diz que já costuma dar a insulina à labradora dele... Espetáculo!

No entanto, mr.Bono atrasou-se e eu, enchi-me de força, gelo pra barriga, alccol pra desinfetar e pumbas espetei a dita cuja na banhoca da barriga, enquanto a minha mãe andava toda nervosa a arrumar a mesa só para não me ver a fazer aquilo.

Já está. Fui valente.
Só faltam mais 11.

19 comentários:

PinUp Me disse...

Mais uma atitude valente. Boa!! Mais vale prevenir do que remediar e o que estás a fazer é de facto a atitude mais acertada de todas! Estamos contigo ***

Nadinha de Importante disse...

Mais 11?! Isso são montes de injecções, mas é com um objectivo e um propósito força nisso. Beijocas

Erica disse...

As primeiras que fiz custaram-me horrores, não conseguia dar a mim própria, parecia que a agulha não entrava. Era o meu marido que dava. Depois, ao fim de mais de 50 (sim... 50) a coisa já era como beber água, já dava injeções em pé, sentada, num wc de centro comercial, no carro... Enfim. Provavelmente darás uma depois para impulsionar a ovulação e essa, sim, dói mais.


Beijinhos

rosa_chiclet disse...

Quando queremo muita uma coisa, conseguimos tudo..
muita força nesta luta..

kisses***

LP disse...

Deve ser reconfortante saber que o mr. bono já tem experiência no assunto. ;)

Jo disse...

Valente sim senhora ;)

Maria Rita disse...

Bato palmas, valentona.

Inspired disse...

Boa!! Mais um medo superado! :)

Beijinho grande!

Doyle disse...

Corajosa. Pode ser difícil, mas vale a pena o esforço. Um dia vais agradecer ter tomado esta decisão, vais ver :)
Beijos

Urban Cat disse...

Bolas, que valente que tu és! Eu não digo que és uma mulher e tanto. Eu assumo, vergonhosamente, que não teria conseguido...ai...e sou dadora de sangue. O problema não seria a agulha mas sim espetar-me a mim própria. Valente, sim senhor!

Maria disse...

Es uma carojasa rapariga!! :):)

Andreia C disse...

Orgulho de fazer parte da tua vida!
Odeio esta distância!

You go girl!!! <3

alejandra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
alejandra disse...

só posso disser...

GRANDE BOSS!!!!!!!!!! Increível L.inha

Não é só tudo o que estas a aprender, é tudo o que estas a fazer! Mesmo incrível. Depois disto, não há nada que te pare.

Bigodes de Nata disse...

Admiro-te a coragem! Que grande mulher!!! :))))

Joana Amaral disse...

No worries, meu bem.
A cada picada torna-se mais fácil. A mais difícil já foi! ;)

Benedita disse...

Ora aí está, parada é que não! :)
Realmente com o decorrer da tua vida e dos teus postos, percebo o quanto ignorava estes assuntos. Não fazia a mínima ideia do que poderia estar em causa na fase dos tratamentos...
Mas tu já se sabe, és uma guerreira, e com toda a certeza, será bem sucedida. :)
Beijinhos grandes

Alexandra A. disse...

Valente mesmo. Admiro muito a forma como tens encarado todo este 'processo'. A torcer por ti. Bj grande, L.

Miss Memories disse...

E mais um fase quase concluída! Muitas figas para que tudo te corra bem :)