quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Tasca do Chico - Fado Vadio

Ontem assim foi.

20.20h no Camões
20.30h na Tasca do Chico (Bairro Alto)
Lá tínhamos o sr. João a receber-nos de fato e gravata e a indicar-nos a mesa. São poucas meses e bancos corridos. Éramos cinco (nós as três, duas tugas e uma americana e duas brasileiras que gentilmente partilharam a mesa connosco).
Queijo de Évora, chouriço assado, presunto, fiambre, pão e sangria.

A parte gira é que se acaba por conversar com as pessoas que partilham a mesa connosco.
Adoro esse tipo de ambiente.



O fado começou às 21.30 com o sr. João. Seguiram-se uma moça nova, um senhor já velhinho de boina e mãos nos bolsos, depois uma das empregadas do bar com um vozeirão brutal (!), terminando de novo com o sr. João. Estava à pinha. Felizmente tinhamos a mesa reservada.

Saem as brasileiras, entram 3 alemães na casa do 65. Conversa prá'qui e prá'li. Estavam atracados em Santa Apolónia num veleiro gigante. Seguiam hoje para Marrocos e terminavam viagem daqui a 16 dias nos Barbados.



Eram 23.15 quando decidimos zarpar, ainda o fado durava.
Adorei o ambiente, o sentimento de pessoas comuns a cantarem o fado. Vale a pena ir lá para vivenciar isso. Vou voltar com certeza. Além disso é ao lado de casa.


"Pelo Bairro Alto, é entrar, se conseguir, neste ninho do fado "vadio", uma revolução bairrista que seduz para o fado uma juventude impensável há uns anos atrás e que assumiu uma projecção até internacional.
É o próprio dono, Francisco Gonçalves, o primeiro a admirar-se com o êxito da fórmula da sua tasca, que recuperou os traços de uma taberna à antiga, emoldurada por dezenas de quadros, posters, recortes e fotos fadistas, já de devida patine, com mesas e bancos corridos."
Restante notícia aqui

3 comentários:

As Duas na Letra disse...

Giro!!!

Paulinha

anf disse...

Nem sabes a inveja que te tenho neste momento, adorava passar uma noite assim
quem sabe um dia,
besito

alejandra disse...

gostaria imenso d ir!